quarta-feira, fevereiro 29, 2012

Aterro na Lagoa do Veiga no Açu

O blog recebeu de um morador do Açu, cerca de 50 fotografias feitas no final de semana passado mostrando o avanço das obras do Complexo do Açu. As imagens mostram agora um avanço do aterro sobre a Lagoa do Veiga. Antes, aqui, no dia 17 de outubro de 2011*, este blog já havia mostrado, de outro lado, a mesmo avanço sobre Lagoa de Iquipari. É difícil acreditar que com tanta extensão de terra seja necessário margear, ou mesmo invadir, uma lagoa, mesmo que degradada e dividida como esta, que alguns chamam de Canal do Veiga. Abaixo três imagens escolhidas dentre outras que foram postadas pelo blog aqui neste álbum para ser observada e analisada por nossos colaboradores. PS.: Atualizado às 20:34: Corrigida a data que antes estava digitada como sendo 17 de outubro de 2001.

Justiça Federal informa que o telhado continua de vidro

A Justiça Federal informa que a decisão no caso da Operação Telhado de Vidro foi apenas sobre um pedido de Cautelar. O site de notícias Ururau informou que: "A assessoria da Justiça Federal do Estado do Rio de Janeiro (TJ/RJ) apresentou esclarecimentos sobre a decisão do Juiz Elder Fernandes Luciano, da 4ª Vara Federal, que julgou improcedente uma ação cautelar do processo 0000615-34.2008.4.02.5103, que versa sobre a liberação ou não dos bens de alguns dos 21 réus envolvidos na ‘Operação Telhado de Vidro’, desde que não tenham conteúdo probatório, como automóveis, imóveis, entre outros que não ajudam a justiça a comprovar a culpa dos suspeitos.

A assessoria destaca ainda se tratar de uma operação ‘imensa’ composta de vários processos, sendo duas ações somente na esfera civil de improbidade administrativa que ainda não foram julgadas, e que na esfera criminal existem outros onde os suspeitos ainda respondem pelos crimes cometidos.

A nota ressalta ainda que nenhuma outra decisão foi proferida em relação ao caso, sendo esta apenas uma sentença de uma cautelar que está relacionado a liberação de alguns bens."
Quais os interesses de quem divulgou o contrário?

Nova paisagem da Barra do Açu

Crivella é o novo ministro da Pesca e Luiz Sérgio volta para a Câmara

A decisão foi anunciada no final da manhã desta quarta-feira. Assim, o governo contempla o PRB que vinha reivindicando espaço no governo. Com a volta de Luiz Sérgio quem perde a cadeira na Câmara dos Deputados é a Eliane Rolim que foi eleita em 2010, segunda suplente, com 43,7 mil votos.

Telhado é virtual e estadual

Assim chego à conclusão, sob o mesmo telhado, que, se o 11 de março de 2008, em Campos, não existiu, também não deve ter havido o 11 de setembro nos EUA. Talvez tenha sido um filme, uma ficção, uma virtualidade.

Eu já vinha mesmo percebendo que as novas tecnologias acabam por levar as pessoas misturarem o real com o virtual.

Quatro anos depois, quase uma copa do mundo, melhor mesmo, num dia bissexto e de sol escaldante, é procurar um telhado opaco para daqui por diante deixar de misturar alhos com bugalhos, federal com estadual, real com virtual.

Se nestas constatações e no tratamento destas confusas misturas você quiser repetir o seriado vespertino da televisão, que também não deve existir, vá na seção ao lado dos arquivos, clique no ano de 2008, depois no mês de março e se divirta com a ficção do Telhado de Vidro, na seção Vale a Pena Ver de Novo!

PS.: Um detalhe: Depois de tudo isto, quem sabe os royalties do petróleo não deixam de ser reais e passem a ser virtuais?

Negociação no Ministério do Trabalho

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil do Norte Fluminense, acompanhados de representantes dos cerca de 2 mil trabalhadores que atuam na construção do Porto do Açu estão reunidos agora, no Ministério do Trabalho em Campos, com os representantes das empresas ARG e Civil Port, na tentativa de chegar a um acordo que possa dar fim às manifestações na RJ-240 e à greve iniciada desde as primeiras horas de segunda-feira (27/03).

O processo

Da coluna "Poder Econômico" no portal iG:

“Processo do Porto do Açu some do site da Justiça Federal do Rio”

“O serviço de informática da Justiça Federal do Rio de Janeiro, até o fim da noite de ontem, havia sumido com as petições do processo judicial de embargo do Porto do Açu, obra de Eike Batista, no sistema de tramitação eletrônica da corte.

O apagão dificulta que as partes acompanhem o caso no tribunal e deixam os advogados sob risco de perderem prazos de contestação. Os advogados dos moradores que sofreram com as desapropriações em São João da Barra aguardam para hoje a normalização do sistema.

O fato já havia ocorrido antes. O tribunal demorou seis dias para cadastrar o processo e as petições, na semana passada, apareciam e sumiam de uma hora para outra. Os funcionários informaram aos advogados que desconheciam a causa do problema.”

Cultura sempre um bom investimento

terça-feira, fevereiro 28, 2012

Bósnia!

Do A Charge Online.

BR-101 continua matando e atravancando!

video Imagens do RJ TV.

Help!

Como todos sabem este blogueiro não é conhecedor dos meandros da programação de informática. Muito ao contrário. Assim, com a ajuda de terceiros vem tocando este blog há sete anos e meio.

Vez ou outra acontecem problemas que acabam sendo mais ou menos contornado.

Porém, há um que vem incomodando, embora, só alguns leitores-colaboradores tenham reclamado: o número de postagens na primeira página que de vez em quando, vem sendo reduzida sem que nada na programação tenha sido modificado. Nos últimos dias elas têm ficado na faixa de seis ou sete, embora, na seção arquivo, do lado direito, a lista com os títulos das últimas notas postadas seja grande.

Na configuração da formatação de postagens, mesmo sendo modificada e a seguir salva, para 20 ou 30, ela permanece reduzida a seis, o que torna as notas do blog menos visíveis, apesar do número de leitores estar se mantendo na média dos últimos meses.

Como este espaço dialoga com os leitore(a)s e colaboradore(a)s que ajudam a fazê-lo, resolvi trazer o problema para ver se há alguém com conhecimento para iluminar uma solução. É possível que alguém da Rede Blog conheça uma solução. Antecipadamente o blog agradece.

OSX fará navio para a Sapura Crest

Em release enviado ao blog pela Assessoria de Imprensa da OSX, ela informa que o estaleiro de propriedade do grupo EBX firmou o primeiro contrato de fabricação de embarcações que não é para a empresa de petróleo do grupo, a OGX.

A OSX foi contratada pela Sapura Navegação Marítima S/A para a construção de um navio lançador de linha (PLSV - Pipe-Laying Support Vessel), no valor aproximado de US$ 263 milhões, a ser construído e entregue pela OSX na Unidade de Construção Naval do Açu.

O navio da PLSV se destina-se ao lançamento e instalação no fundo do mar de linhas submarinas flexíveis. A Sapura é uma subsidiária integral da Seabras Sapura Participações S/A, atualmente subsidiária integral da SapuraCrest Petroleum Berhad, empresa sediada na Malásia, onde lidera o setor de engenharia, transporte offshore e serviços de instalação para a indústria de óleo e gás.

A SapuraCrest está em processo de obtenção da aprovação de uma joint-venture com a Seadrill Ltd, uma das maiores empresas globais de perfuração marítima, listada em Oslo e em Nova Iorque, com o valor de mercado de aproximadamente US$ 18 bilhões, que opera uma frota de 48 sondas de perfuração offshore no mundo além de 14 sondas em construção.

Porto para exportação de minério em Kennedy-ES depende de capitalização da Ferrous

Como este blog já disse o projeto é muito parecido com o da MMX-Anglo American no Açu. O projeto da Ferrou abrange mineração, mineroduto e unidade de beneficiamento e porto para exportação de minério de ferro, no município de Presidente Kennedy, ES, e está avaliado entre US$ 5 a US$ 6 bilhões depende de capitalização da empresa Ferrous para sair do papel e se tornar realidade.

A Ferrous Resources do Brasil planeja abrir, ainda este ano, o seu capital na Bovespa, assim que receber as licenças de instalação do mineroduto e do porto.

A expectativa da empresa é que a licença saia proximamente. Segundo a Ferrous as propriedades em torno do mineroduto (em 22 municípios, sendo 17 em MG) e o terreno do porto em presidente Kennedy, na fronteira com o estado do Rio de Janeiro, próximo à localidade de Barra do Itabapoana, já foram todas adquiridas (foto ao lado da praia de Marobá local onde se projeta o porto de Kennedy).

A meta é produzir e exportar 25 milhões de toneladas de minério de ferro até o fim de 2016, início de 2017. As reservas da Ferrous estão hoje entre 3,5 a 4 bilhões de toneladas. Hoje a empresa exporta por Itaguaí 3,5 milhões de toneladas, sendo, 1,5 milhão para a China, a um preço médio de US$ 140, a tonelada de minério de ferro.

China urbanizará um Brasil até 2025

Mesmo com uma pisada no freio as estimativas de crescimento da China são gigantescas e justificam a demanda por minério de ferro entre outras matérias primas. As perspectivas são de urbanização de cerca de 200 milhões de chineses até 2025 que estão saindo das áreas rurais em direção às cidades. Ou seja: um Brasil em pouco mais de uma década!

Com um mercado como este qualquer projeto relacionado a ele, mesmo com problemas, vira realidade.

PS.: Atualizado às 14:36: Lucas Siqueira trouxe nos comentários abaixo, como contribuição para o debate, a reportagem da tv americana. Ela mostras as contradições e os riscos de negócios com a China que continua a crescer, mas, aparentemente com problemas no cenário. Vale sua conferida: