quinta-feira, novembro 28, 2019

Liberais querem estado para si. Esta é a luta central: defender as instituições, a democracia e retomar o Estado para a maioria!

Os liberais tupiniquins, ao contrário do que muitos pensam, adoram um Estado nem tão mínimo, mas desde que seja para si. Para os do andar de cima.

Sem nenhum rubor eles vão confessando as dificuldades do tal livre mercado.

Ronaldo Caiado, o governador de Goiás, da direita liberal quer reestatizar a companhia de energia elétrica que foi entregue como concessão à italiana Enel.

E a equipe do Guedes confessa que a lei do mercado tem limites e assim tabela os juros do cheque especial que ainda assim continuam escandalosos.

O banqueiro joga para a plateia fingindo regular o seu setor.

É exatamente contra essa gente é que precisamos de uma polarização efetiva e permanente, sem essa conversa de centro. O Estado é para todos, mas de forma especial, para quem mais precisa dele.

Essa é a disputa. Tirar o Estado das mãos do mercado, num governo de banqueiros que atua para os ricos. Enfrentar o bolsonarismo é defender as instituições e retomar o Estado.

Insisto, essa é a disputa que deve unir todos que são contra o neoliberalismo e o poder político controlado pelo mercado. 

Essa luta no Brasil vai envolver o enfrentamento contra o estado de exceção e as milícias. 

Mas que fique claro, a luta é contra todos que defendem o mundo para poucos e por isso estão controlando o Estado que necessita ser retomado junto com a democracia.

Um comentário:

Unknown disse...

Há dificuldades, professor. O Estado está assolado pelos ultraliberais. Os liberais estão na lateral, vide PSDB. Claro que há os liberais oportunistas, que embarcam no veiculo bolsonarista! O Lula voltou com o discurso da coalizão ao centro e o mesmo discurso conciliatório. O restante da esquerda permanece na sua crônica e soberba fragmentação. A população vai na onda da velha imprensa e está anestesiada com o whatsapp e as redes sociais. Outra parte continua pró-bolsonaro e alienada aos fatos. Está difícil!