quarta-feira, julho 17, 2013

Contorno da BR-101 em Campos: interesses e opção pelo traçado Oeste

Com a opção que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fez e que apresentará em "reunião participativa" amanhã na sede da prefeitura de campos às 10 horas, pelo trajeto oeste, entre Ibitioca, Santa Cruz, ponte sobre o Paraíba do Sul e o km-13 da Campos-Vitória, o percurso terá 35 quilômetros.

Assim, todo o trecho da Ponte Gal. Dutra até o novo trecho na altura do quilômetro 13, um pouco antes de Travessão passará a ser uma avenida/rodovia municipal. O mesmo acontecerá entre o novo trevo em Ibitioca que seguirá o caminho oeste e o trajeto antigo que acessa a Rodovia dos Ceramistas e o trecho de Ururaí até Campos (que a PMCG já havia licitado para duplicação), assim como, o antigo contorno, no Parque Rodoviário e Rocha Leão até a Ponte General Dutra.

Este traçado que é o mais antigo e anterior (com poucas alterações) à concessão da BR-101. Este traçado reduzirá o tempo de viagem de São Fidélis, Cardoso Moreira, Italva e SFI ao Rio, já que não precisarão mais passar pela área central do município.

Quem mais resistia ao traçado Leste que usaria a Rodovia dos Ceramistas são os assentados do Movimento Sem Terra (MST) que resistia à hipótese deste traçado cortar ao meio dois assentamentos o de Oziel Alves em Cambaíba e o pioneiro, o Zumbi, próximo à antiga Usina São João em Guarus.

O traçado Oeste tinha a resistência dos ambientalistas pelos riscos de adensamento e uso do solo próximo à Lagoa de Cima. Uma alteração teria sido feito no traçado para distanciar um pouco mais a estrada que produzirá uma nova fronteira urbana e um movo núcleo de assentamento da área urbana do município. Este fato é do agrado e interesse dos proprietários de terra no local e de gente do setor imobiliário que identifica novos ganhos nas áreas do entorno do novo traçado.

Os empreendedores que se instalam no Açu perdem a hipótese se ver o "possível" Corredor Logístico se encontrar a BR-101 circundando a cidade na altura da localidade de Donana. Porém, o blog foi informado, que com a crise das empresas do grupo X, eles deixaram de lutar e até entregar uma proposta de nova localização do Corredor Logístico para interseção com este traçado leste do contorno que foi deixado de lado. A prefeitura chegou a defender esta opção, mas, tanto a situação do grupo X, como outros fatores acabaram por fazer a PMCG acertar com a ANTT a opção pelo traçado Oeste.

Até onde o blog apurou a concessionária tinha preferência por este traçado, porque identificava nele a possibilidade de provocar novas contas no valor do pedágio, em função da ampliação do percurso, em relação ao que constava do contrato de concessão que foi assinado.

A hipótese de instalação de uma nova praça de pedágio não existia, porque este traçado era muito próximo à cidade e com distância inferior aos 60 quilômetros usados na modelagem dos valores quando do leilão para escolha da concessionária, que foi ganha pela empresa espanhola OHL que criou a Autopista Fluminense S.A. para operar a rodovia e depois transferida para outra empresa espanhola Arteris.

Com a opção pelo traçado oeste a Autopista Fluminense terá que fazer o licenciamento ambiental deste novo traçado e a seguir começar as obras do novo trecho de 35 km) , mais a ponte sobre o Paraíba do Sul e as responsabilidades financeiras já estão cobertas pelo contrato de concessão.

Se a implantação do Porto do Açu superar os problemas econômicos do presente com novos donos, a possível implantação do Corredor Logístico com a BR-101 deverá ser discutido.

Enquanto isto, o uso das avenidas urbanas e as estradas Campos-Farol e BR-356, trecho Campos-SJB continuarão a ser, como hoje, compartilhadas com o fluxo de veículos da região.

Isto se dará, pelo menos até que a Ponte SJB-SFI seja construída e a opção do projeto da Rodovia Translitorânea, ligando Quissamã a Campos, SJB, SFI até à divisa com o Espírito Santo possa se tornar realidade como alternativa à rodovia BR-101. A conferir!

9 comentários:

Renato Cesar Areas Siqueira disse...

Olá, bom dia.

Essa proposta da ANTT, se assemelha à do Plano Diretor Participativo, com algumas adaptações, uma delas melhoras a proposta do PDP, pois afasta o traçado do perímetro urbano, o que a longo prazo traria a BR "de volta" para o intra-urbano. Porém, o "repatriamento" da ideia do contorno à oeste e abandono completo do contorno à leste, me parece um equívoco, visto aos empreendimentos situados à leste serem factíveis, embora hoje, não se saiba exatamente como determinar em quanto tempo e quem irá promovê-lo. Uma proposta não considerada neste contexto oeste-leste, é a simultaneidade, quer dizer, existem fatores favoráveis aos deslocamentos e integrações intermunicipais tanto de um lado quanto de outro, desta forma, me parece razoável o Contorno à oeste, ser implantado do KM 84,5 da BR-101 até a BR-356, que beneficiará especialmente: Bom Jesus, Pádua, Itaperuna, Cardoso Moreira, São Fidélis e Italva; o restante dos recursos poderão ser aplicados do lado leste, considerando o Corredor Logístico, Translitorânea (alternativo à BR-101), Estrada dos Ceramistas, Rod. Campos-Farol (Baixada Campista), São João da Barra, Barcelos, São Francisco do Itabapoana. Se os Contornos ocorrerem como proposta que apresento, aberta a sugestões, pode ser concretizado o sonho da verdadeira integração regional.

Roberto Moraes disse...

Caro Renato,

Eu não vi de forma detalhada o mapa, mas, parece que a proposta da ANTT é próximo disto não?

Seria interessante fazer um exercício desta possibilidade pelo Google Maps.

Concordo plenamente com a estratégia de se vincular a decisão a uma opção que colabore para uma maior integração regional entre o Norte e Noroeste Fluminense, que antes, até quase o final da década de 70 era apenas, Norte Fluminense, mas, para reagir aos interesses centralizados de Campos como polo, Itaperuna e Pádua buscaram este desmembramento com o surgimento da região Noroeste Fluminense.

Anônimo disse...

Então haverá uma ponte sobre o rio Muriaé também não é?

Renato C. A. Siqueira disse...

Não, Roberto, a proposta da ANTT, Auto Pista Fluminense e Prefeitura, é de abandono completo do traçado à Leste, onde não haverá a integração regional da qual falei, entre os municípios do Norte e Oeste Fluminense. Curiosamente, para usar um termo cunhado pela Prefeita Rosinha, o Contorno à Oeste, irá "rachar o município", pois, beneficiará apenas
um dos lados do território, desconsiderando o maior vetor de desenvolvimento que estará acontecendo entorno do Corredor Logístico. Vou fazer um material-resumo melhor desta "reunião participativa" para publicar.

Anônimo das 2:16h, os estudos geo-técnicos irão determinar o melhor traçado, mas de certo mesmo seria o aproveitamento da ponte João Figueiredo.

Alexandre Faísca disse...

Prezado Roberto.
Sou morador do distrito de Travessão e não poderia deixar de manifestar minha opinião. Não consigo entender o motivo para que o desvio seja feito no km 13 e não após o limite do distrito sentido Vitória. Acredito que as pessoas envolvidas no projeto tem uma estatística com o número de acidentes por região, e o trecho compreendido entre o km 13 e término no distrito é crítico! São poucos metros mas que já impactaram de forma fatal na vida de muitas famílias. Gostaria muito de saber o que os responsáveis tem a dizer sobre o assunto.

Roberto Moraes disse...

Caro Alexandre,

As novas informações dão conta que esta mudança deverá ser feita. Assim como a posterior duplicação até a divisa com o Espírito Santo.

Rafael Leite disse...

Acredito que a decisão tenha sido acertada.
Seria vergonhoso se o traçado de uma rodovia fosse definido simplesmente para atender aos interesses de uma empresa.

veronica castro disse...

Boa noite Roberto Moraes gostaria de saber se tem algum programa ou site que eu possa montar o roteiro da BR-101 do começo ao fim.Assim desde já agradeço. Allan Pierre

Roberto Moraes disse...

No site do DNIT há mapas das rodovias federais:

http://www.transportes.gov.br/conteudo/539


O site estradas.com.br pode também te ajudar:
http://estradas.com.br/

Quanto a BR-101 no estado do Rio você pode ver no site da Autopista Fluminense:

http://www.autopistafluminense.com.br/

Sds.