domingo, junho 29, 2014

A estrutura do mineroduto e suas características técnicas

Alguns leitores-colaboradores que acompanham as postagens sobre a implantação do Porto do Açu e do Sistema Minas-Rio, tanto nas questões de impacto ambiental e social quanto nas repercussões sobre os atingidos, e ainda, nos aspectos econômicos e técnicos, solicitaram que o blog pudesse dar algumas informações mais gerais sobre o funcionamento do mesmo, da origem à chegada para exportação através do Porto do Açu, ainda em construção.

Atendendo a solicitação, então o blog reuniu e resumiu as informações que considera mais importante sobre o sistema que a Anglo American e a Prumo Logística S.A. esperam que esteja em pleno funcionamento até o final deste ano.

O mineroduto do Sistema Minas-Rio interligará Conceição do Mato Dentro, MG, ao Açu, Município de São João da Barra, Norte Fluminense. O duto com diâmetro entre 60 e 66 cm (24¨ a 26¨) e espessura entre 2 e 2,2 cm aproximadamente, cortará 25 cidades mineiras e 7 fluminenses.
Mina onde se faz a lavra do minério de ferro no
município mineiro de Conceição de Mato Dentro

Os dutos foram enterrado a uma profundidade entre 76 cm e 1 metro. O mineroduto sobe e desce serras cruza rios e passa por túneis em morros em seu longo percurso. Terá duas estações de bombeamento (uma na saída da mina, outra no KM 235) e  uma estação de válvulas no km 343.

A polpa que será enviada pelo duto tem a previsão de levar 85 horas e 14 minutos para cortar toda a extensão do mineroduto, ou seja, cerca de 3 dias e meio de viagem até chegar ao Porto do Açu. Há ainda dúvidas sobre o uso que se fará no Açu, da água que trará o minério sob a forma de polpa do interior de Minas até o norte do estado do Rio de Janeiro.

Usina de beneficiamento na
saída da mina em CMD-MG
Abaixo um diagrama esquemático do Sistema Minas-Rio. Da mina, beneficiamento e preparação da polpa para exportação pelo mineroduto. As estações de bombeio para o percurso de 525 quilômetros e o recebimento para filtragem, secagem e colocação das esteiras para embarque no Porto do Açu. Clique nas imagens se desejar vê-las em tamanho maior.

Os testes hidráulicos já foram concluídos pela Camargo Correia encerrando a parte física do mineroduto. A construtora já entregou a obra à Anglo American depois da execução dos testes hidráulicos (TH) com pressão bem superior à de operação para testar as soldas e os tubos.

Agora após a conclusão da montagem da usina de beneficiamento em Conceição de Mato Dentro, MG, começarão os testes para envio da polpa. A Anglo iniciou nesta quinta (26/06) o teste do sistema com uso de água sendo bombeada da Estação de Bombeamento (EB1) em Minas até o Porto do Açu.

Com as informações obtidas pelo blog, de que já há minério das esteiras da planta da usina, na cidade de Conceição do Mato Dentro, onde será misturado nos tanques para produzir a polpa para ser bombeada, fica-se a dúvida sobre o gargalo na planta de filtragem e nas conclusões do terminal 1 do Porto do Açu.

Vencidas estas etapas e após o licenciamento operacional, o sistema poderá funcionar para exportação. A expectativa da Anglo, como já comentado, é que isto possa ser feito até o final do ano. Confiram os diagramas.




2 comentários:

Anônimo disse...

Roberto, belíssimo trabalho de esclarecimento aos leitores sobre esse mega empreendimento.

Raiza Jessica disse...

E sem contar que vão poder usar a água sem pagar taxas ou seja de forma gratuita ainda mais com a Camargo, o que está empresa tem de falcatrua não e pouco.