quarta-feira, março 08, 2017

Hoje, poucos se lembram, mas a Shell devolveu o campo de Libra dizendo não ter petróleo

Hoje é difícil de alguém acreditar, mas é fato. 

Os registros da ANP podem confirmar para os incrédulos.

A petroleira Shell que tinha obtido direito de ser operadora da área onde está o campo de Libra, no festejado pré-sal - antes de sua descoberta, com toda a eficiência propalada por aqueles que veneram o deus-mercado e o setor privado, devolveu à ANP o campo e abdicou de sua condição de operadora.
A Shell alegou que o campo não era comercialmente viável.

Pois bem, a nossa Petrobras com sua modelagem dos sistemas geológicas e tecnologia de perfuração ao explorar o campo descobriu que o mesmo era um mega-campo.

Libra tem reservas de petróleo de pelo menos 10 bilhões de barris de petróleo e gás (boe - barris de óleo equivalentes).
Mapa do Pré-sal - Campos de Libra: círculo vermelho

Hoje Libra é o mais festejado dos campo e vai exigir a instalação de 4 plataformas para dar conta do seu potencial de produção de óleo e gás.

Mas, este esse fato vive esquecido.

Ou propositalmente escondido, no mesmo momento, em que a Petrobras, depois de gastar bilhões de dólares com aluguel de sondas de perfuração, para descobrir estas reservas - 6 dos 10 maiores campos de petróleo no mundo na última década - está aí entregando tudo isso como banana, nas barracas de final da xepa.

Vou repetir a Petrobras descobriu um dos maiores campos de petróleo do mundo, onde a Shell disse que não havia petróleo. 

É bom que se possa ir aos poucos detalhando estes casos para quem vive no sofá acreditando apenas na mídia comercial brasileira.

13 comentários:

Anônimo disse...

Mestre é possível citar a fonte?

Anônimo disse...

O interessante e que as os EUA não se interessam tanto pelo pré-sal como diziam.
O "imperialismo" ,no que refere ao pré-sal, parte dos europeus e dos chineses e não dos EUA como tanto falavam.

Evandro Gomes Monteiro disse...

"Sem dúvida, o modo de produção capitalista aumentou enormemente o controle social sobre os fluxos de materiais e energia. Se em tempos remotos os ciclos econômicos eram controlados pelos ciclos naturais, hoje são os ciclos econômicos que controlam os ciclos naturais." FONTE: LIVRO AEPET 50 ANOS, 2014, PELO BRASIL, PETROBRÁS E SEU CORPO TÉCNICO

douglas da mata disse...

Pois é, me lembra de Monteiro Lobato e o movimento pela criação da Petrobras, e a "certeza" de que a exploração de petróleo no Brasil era coisa de maluco...

Então...

Anônimo disse...

Lamentavelmente, é assim que funciona...

Roberto Moraes disse...

A fonte é a ANP. Há diversas ouras fontes secundárias que comentam o assunto, com mais ou menos detalhes.

A questão dos EUA é um engano. Quem conhece bem o setor e acompanha os seus desdobramentos, sabe que hoje, as para-petroleiras (empresas que fornecem bens e serviços na área de petróleo), faturam em muitos casos, mais do que as petroleiras, produtoras de petróleo, sejam NOCs ou IOCs.
É aí que entram as empresas americanas: Halliburton, Baker, FMC, etc. Além disso, há uma triangulação de ativos que pouca gente conhece entre a Total e a Chevron que fará com que esta tenha acesso a alguns destes ativos da Petrobras que estão sendo entregues. Nos bastidores o assunto é conhecido.

Evandro, sim. O ciclo do petróleo é manejado pela geopolítica já há algum tempo. Ele interfere nos grandes ciclos econômicos. Eu continuo insistindo que conhecer o ciclo petro-econômico é fundamental, em suas diversas dimensões.

Douglas, pois é... o pré-sal hoje entregue acaba por temperar o liberalismo insosso que antes o negava como fenômeno físico-químico. Fato é que a descoberta desta enorme fronteira petrolífera - a maior das duas últimas décadas - jogou, definitivamente, o Brasil no centro da fogueira da geopolítica.

PS.: Me espanta que esta postagem, num único dia tenha tido mais de 10 mil acessos. Isto quer dizer algo.

Anônimo disse...

Pois é a gente consonme e paga a pior é mais cara gasolina do mundo, com 27% de álcool bela merda a Petrobrás, serve só pra roubalheira, essa gasolina só vira aqui onde é a mais cara do mundo por isso a Shell caiu fora, ela já sabe que no Brasil não têm segurança jurídica

Rebello disse...

Que tal se a perfuração declarada do poço foi falsa? E que tal se a perfuração correta é em outro lugar?
E que tal ainda se em vários dos poços é o mesmo para os abutres se darem mal? Que tal se depois de largarem de mão, por ser impossivel em aguas tão profundas, ou ainda achando que não há condição de explorar por insuficiência de petroleo, a Petrobras vai lá e fica com tudo?! Hahaha!
"A trapaça por trás da trapaça é pura elegancia!"

Marcelus Glaucus Araújo disse...

Só uma questão: Não era campo,como ainda não o é, e a Shell não teve "coragem" de se arriscar no Pré-Sal... Em bola dividida tirou o pezinho.

Marcio Santos disse...

Realmente não é campo e sim: um M E G A C A M P O...

Anônimo disse...

Hoje 12/03/2017 paguei R$4,99 por um litro de gasolina podium. Esse papo e para eu me orgilhar do Brasil????

Roberto Moraes disse...

Em dólar ou euro não há muita diferença para gasolina da mesma qualidade mundo afora. Sendo Shell, Total, Repsol ou Chevron. Só que uma gera empregos e renda por aqui puxando uma enorme cadeia produtiva. Já a importação de derivados das refinarias lá fora é outra coisa. Desintegrar a cadeia produtiva do petróleo para entregar os ativos a preço de banana é crime de lesa pátria.

Unknown disse...

Assumamos que seus argumentos são válidos. Só não consigo enxergar onde por que a Shell caiu fora, como você disse, e agora voltou pra comer o filé.