quinta-feira, outubro 07, 2021

Mídia financeira & jornalistas de cativeiro no esconderijo fiscal do Pandora Papper

O caso das offshore do Pandora Pappers em que as duas maiores autoridades econômicas do Brasil são partes que escandalizam o mundo, traz evidências bem para além da mistura entre o público e o privado que derrubou a porta giratória da ética e da moral entre o Estado e a sociedade no país.

O esforço para esconder (ou escantear) o grave assunto por parte das mídias corporativas, demonstra o modus-operandi dessas “corporações verbo-verba”. Há muito elas se afastaram daquilo que antes se vangloriavam de ser: instrumentos de intermediação entre o Estado e a esfera pública para formar a opinião.

O que se vê - cada vez mais - é a compra escancarada do imaginário de que a política é um estorvo e elite econômica é virtuosa. Nesta toada, a mídia corporativa ainda tenta pousar de árbitro de falsa neutralidade, numa disputa que tem lado. É jogador e agente escancarado do mercado, na captura tanto de dinheiro quanto de poder. Com o primeiro obtém mais poder, a partir de onde amplia os controles e os fluxos de informação e dinheiro em seu benefício.

Assim a mídia corporativa quer Estado para si e para os seus interesses e, desta forma, vai definindo pautas cada vez mais distantes do compromisso com a sociedade, escondendo o que atrapalha e marketeando os negócios financeiros que banca os seus crescentes lucros.

Difícil falar em democracia num cenário como este em que a esfera é privada e a opinião comprada com a riqueza vampirizada e capturada daqueles que a geram. A Hildegard Angel mandou bem ao se referir a “jornalistas de cativeiro” estes que sofrem a ditadura dos donos dessa mídia corporativa-financeira.

2 comentários:

shamijacobus disse...

Boa tarde.
Apesar de percorrermos o mesmo "ramo" de estudos, noto a desgraça que alguns foram submetidos ao apoiarem de forma aberta, velada, ou imprudente a permanência de socialistas/ comunistas, ou seja lá como se definem no comando de nações.
O blogueiro não é capaz de sair do buraco que está e analisar a HISTÓRIA MUNDIAL dos efeitos deletérios da cor vermelha nos cérebros e na população que sobreviveu ou sobrevive sob esta ideologia.
abraços.

Roberto Moraes disse...

Medindo pela métrica do comentarista, eu poderia afirmar o mesmo, em relação a ele, que sobrevive destes antolhos mentais e ideológicos de que acusa este blogueiro.

Aqui ele tem espaço democrático para se manifestar.