terça-feira, abril 06, 2021

Salários nas petroleiras Petrobras, Shell, BP, Total e Equinor expõem as mentiras que sustentam o desmonte e a entrega de nossa estatal e do Pré-sal

O levantamento feito por Marcelo Gauto com dados oficiais que constam dos Relatório Anuais (2019 e 2020) destas corporações petroleiras, joga por terra os argumentos fantasiosos contra a estatal Petrobras e seus funcionários, no que diz respeito tanto ao quantitativo de funcionários, quanto aos seus salários. 

É oportuno ainda informar que além da Petrobras, a petroleira norueguesa Equinos (ex-Statoil) é também estatal e a Total ainda mantém forte participação do governo francês. 

A Petrobras dentre as cinco petroleiras (mais Shell, BP, Total e Equinor), a estatal brasileira possui menor número de funcionários, 49 mil trabalhadores em 2020, só ficando atrás da Equinor que possui 21,7 mil trabalhadores. 

No que diz respeito aos salários médios, os da Petrobras são os menores, com valor médio mensal de US$ 5.198, enquanto os salários médios mensais da francesa Total é de US$ 7.032; da anglo-holandesa, Shell US$ 8.832; da inglesa BP, US$ 9.300 e da norueguesa Equinor, US$ 10.061.

Abaixo o infográfico com as tabelas que mostram ainda a evolução entre 2018 e 2020 dos número de empregados, os custos com as folhas salariais e os salários médios mensais e anuais destas cinco petroleiras. 

É evidente que a análise destes números remete a um debate mais complexo que envolve, o custo de vida em cada um destes países, as estratégias diversas de cada corporação dentro da geopolítica do petróleo e da energia, etc.. 

Porém, é também claro que esses números são representativos para se fazer comparações menos irreais e injustas do que aquelas que normalmente, são realizadas para difamar a estatal e seus funcionários - que descobriram a maior bacia petrolífera nas últimas décadas no mundo que é o nosso Pré-sal - com interesse de seguir vendendo suas fatias a preço de final de feira.

5 comentários:

Anônimo disse...

Um petroleiro brasileiro ganha 5,2 mil dólares por mês? E ainda assim estao fazendo greve por causa de lanche em plena pandemia,quando o mundo inteiro está perdendo emprego e renda? 😱

Roberto Moraes disse...

Sabia que esta postagem despertaria exatamente este público que não consegue olhar para além. Salário médio é muito diferente de salário básico. Assim, para a média ser este valor você tem nas postas salários mais de dez vezes maior e menor, na realidade do país de tanta variedade de diferença para a força de trabalho.

Além disso esses salários são os funcionários diretos das petroleiras e não todos os desta cadeia produtiva onde a média é imensamente menor.

De outro lado, não é possível, em nenhuma parte do mundo, comparar a média salarial de trabalhadores embarcados e em ambiente confinado e offshore dos demais e de outras atividades.

O setor de petróleo mexe com altos valores e com tecnologias avançadas, em boa parte de sua cadeia e por isso, trabalhadores mais qualificados são importantes para manter em bom estado e uso os equipamentos e a organização do trabalho, de forma a garantir boa produtividade.

Ainda assim, no mundo, a desvalorização do trabalho do petroleiro no Brasil, com todo o potencia que redundou na descoberta do pré-sal, maior bacia petrolífera descoberta nas últimas décadas no mundo, a ultra-rápida colocação em produção os ativos descobertos, não se faz, sem uma expertise reconhecida em todo o mundo. E como se vê a um custo ainda muito menor que na maioria das petroleiras.

Defender o contrário, com comparações sem nenhum sentido, serve apenas para defender o outro lado do balcão de classe: os rendimentos dos investidores.

Os dados reais dos balanços da petroleiras machucam a quem quer explorar mão de obra qualificada para ampliar seus lucros.

Anônimo disse...

O artigo parece um informativo de sindicato. Só por curiosidade, quanto ganha um professor no Brasil e um na Noruega? Petroleiros brasileiros são extremamente privilegiados e, mesmo assim, só reclamam. Nem numa pandemia, sentem vergonha de reclamar.

Anônimo disse...

Viajante das estrelas, blog que nunca aceita o contraditório. Papo perdido.

Roberto Moraes disse...

Calma. O papo é perdido, mas o time é do moderador do blog.

Pode repetir tranquilamente aquilo que já diz a mídia corporativa e financeira. Assim como um informativo ventríloquo do setor financeiro.

O contraditório é exercido pelo blog e não por essa posição a favor do mercado e dos acionistas-rentistas. O blog vem há 17 anos fazendo seus comentários contra a maré e não o contrário.