quarta-feira, novembro 12, 2008

Classificação das despesas do orçamento de Campos

Pelo que se vê no quadro acima, tirado das LOAs de 2004 e da projeto de 2009, paulatinamente a dotação orçamentária do município foi cada vez mais migrando, das áreas fins,para as atividades meio, entre elas, a principal é a que vem propiciando o inchaço da máquina governamental do município.
Evolução do gasto com pessoal na PMCG:
2003 – R$ 138 milhões;
2004 – R$ 178 milhões;
2005 – R$ 247 milhões;
2006 – R$ 315 milhões;
2007 – R$ 395 milhões;
2008 - deverá ser superior a R$ 550 milhões.
A infra-estrutura que na lei inicial que originou o pagamento dos royalties era a área prioritária para os investimetos com esta receita foi sendo cada vez mais preterida. A outra área em que se esperava que os royalties pudessem ajudar era na redução das desigualdades sociais com a ampliação de investimetos em desenvolvimeto e promoção social, acabaram sendo também, proporcionalmente, preteridas com o gasto em atividades meio. Só em 2008, o gasto com pessoal deverá superar a quantia de R$ 550 milhões.
PS.: Veja a metodologia adotada para a classificação das áreas: - Infra-estrutura (Obras, M. Amb., Transp., Lim. Publ., Campos Luz, EMUT);
- Desenvolvimento Social (Fundos Prom. Social, Saúde, Área de Educação e Saúde: FJBM, FGV, Esportes, Cultura: FCJOL, Trianon, Def. do Consumidor);
- Desenvolvimento Econômico (Fundecam, Ind. Com e Turismo, Agricultura e Codenca); - Atividades Meio (Câmara, Procuradoria, Gabinete, Administração, Pessoal, etc.).

8 comentários:

Anônimo disse...

Roberto,

Muito importante a divulgação desses dados.
Professor, onde eu poderia ter acesso as LOAs e ao projeto 2009 ?

Parabens pelo post !


abraço !

Imbeloni disse...

Estou postando o comentário que o meu tio fez no jornal O Diário de hoje, sobre Arnaldo.

Chega ser assustador o que este atual governante fez e faz com nossa cidade. Sr. Mocaiber, venho através deste jornal colocar todo nosso repudio não só a sua administração mas a tudo o que diz respeito a suas declarações referindo-se a mesma como se fosse algo digno de admiração (...) desejo deixar ao senhor e ao Arnaldo Vianna (foto) uma mensagem: até para eleger-se presidente comunitário é preciso voto e para ter voto é preciso povo para votar e principalmente para eleger-se é preciso credibilidade (...) Diante disso aconselho pelo menos não atrapalhar quem quer governar...”.

Antonio Luis Imbelloni - Parque Nova Brasília, Campos/RJ.

Imbeloni disse...

O Conversa Afiada convida o amigo leitor a comparar a leitura recente dos jornais do PiG (*), as declarações estapafúrdias do Ministro da Justiça e o que disse no dia 16 de setembro deste ano o colunista Luis Nassif em seu blog.

. O Conversa Afiada republica o texto com autorização do autor:

Lula, Satiagraha e a Real Politik


Atenção, um novo capítulo se abre para o caso Satiagraha.
O governo Lula acertou um acordo com a Editora Abril – e, por extensão, com Daniel Dantas – para anular a Operação Satiagraha. O acordo foi montado da seguinte maneira:

1. É impossível interferir nos trabalhos em andamento do Ministério Público Federal e do juiz De Sanctis. A ofensiva de Gilmar Mendes foi um tiro no pé.

2. A estratégia acertada consistirá em tentar anular o inquérito de Protógenes, no âmbito da Polícia Federal. A versão preparada é que o inquérito continha irregularidades que precisariam ser sanadas. E a Polícia Federal colocou seus homens de ouro para "salvar" o inquérito. O trabalho dos "homens de ouro, na verdade, será o de garantir a anulação do inquérito.

3. Ao mesmo tempo, o governo aproveitará o factóide dos 52 funcionários da ABIN que participaram da operação - uma ação de colaboração já prevista pelo Sistema Brasileiro de Inteligência - para consumar a degola de Paulo Lacerda. A matéria do Estadão de domingo, o da "demissão em off" estava correta. Sabe-se, internamente no governo, que a operação foi normal. Assim como se tem plena convicção de que o tal "grampo" entre Gilmar Mendes e Demóstenes Torres foi uma armação. Mas Lula se curvou à real politik.

4. De sua parte, jornais e jornalistas mais envolvidos com o jogo estão reforçando essa versão do "inquérito ilegal" e do messianismo do delegado Protógenes. A armação, agora, terá o reforço da concordância tácita do Palácio.

5. O pacto foi referendado pela Ministra-Chefe da Casa Civil Dilma Rousseff. O Ministro Tarso Genro foi o que se mostrou mais constrangido com a operação, mas acabou se curvando à força dos fatos. (**)Com essa operação, Lula e Dilma passam a ser aceitos no grande salão nobre, pavimentando a candidatura da Ministra para as próximas eleições.

6. O seu principal adversário, José Serra, já é outro aliado que entrou à reboque da Editora Abril. Está pagando um preço caro, com a descaracterização do seu discurso político.

7. A bola, agora, está com o Ministério Público e o Juiz De Sanctis, que terão que trabalhar com essa nova peça do jogo: a intenção de se anular o inquérito.

Não sei por que, mas o evento da Abril me lembrou aquela cena épica de Francis Ford Copolla, o fecho do filme. Enquanto todos estão na grande ópera, os inimigos são fuzilados na calada da noite.

Na grande festa foram selados os destinos do delegado Protógenes e Paulo Lacerda, dois funcionários públicos cumpridores da lei. Anotem os nomes deles e os repassem para seus filhos e netos: foram dois brasileiros dignos, sacrificados por um jogo sujo.
É o fim da grande batalha pela instituição da legalidade no país? Longe disso. É apenas um novo capítulo. Tanto assim, que integrantes próximos ao jogo estão completamente incomodados, assim como vários colegas jornalistas, que entenderam que esse jogo de cena foi longe demais e está comprometendo a imagem da categoria como um todo.

Com tanta testemunha, tanto conflito de consciência, julgam ser possível varrer o elefante para debaixo do tapete? É muita falta de fé no estágio atual de desenvolvimento do país.

Unknown disse...

Ferah, vc e seus posicionamentos politicos que te cegam... Faça as contas certas cara. A coluna da esquerda soma 99%. Cade o 1% restante? No meu bolso não está... hehehe. Onde será que ele foi parar?
E olha que vc é engenheiro!

Roberto Moraes disse...

Ao autor do último comentário o blog informa que a diferença de (1%) na totalização foi fruto da aproximação para divulgar apenas número inteiro para melhor visualização da realidade. O 1% que ficou faltando está na aproximação das atividades-meio.

Sds,

Imbeloni disse...

Nova lei: caixas eletrônicos com mais segurança

Entrará em vigor o texto que cria normas de segurança mais rígidas para os caixas eletrônicos localizados no estado. Elas foram garantidas pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, que derrubou, nesta quarta-feira (12/11), o veto do governador Sérgio Cabral ao projeto de lei 2.360/05, do deputado Paulo Ramos (PDT).

Segundo a norma, as instituições financeiras ficarão obrigadas a dificultar a remoção e a violação dos caixas através das seguintes medidas: fixação do terminal no chão das agências, uso de material resistente à perfuração, utilização de sistema eletrônico de alarme que acione a Polícia Militar, instalação de câmeras ocultas, entre outros cuidados.

“A proposta busca apenas adaptar a Lei 3.663/01, que trata do assunto, à nova realidade de roubos no Rio, onde há registros, inclusive, de remoções de caixas inteiros”, salienta o autor da proposta, deputado Paulo Ramos (PDT).

O projeto agora será encaminhado ao governador para promulgação, que deverá ser feita dentro do prazo de dois dias. Caso o governador não o faça, o texto voltará à Alerj para promulgação pelo presidente da Casa, deputado Jorge Picciani (PMDB).

Jornal Ururau

Anônimo disse...

Caro Roberto,

Isto demonstra o quanto a maquina administrativa é "inchada", sem trazer o retorno esperado e adequado a população como um todo desde a classe média/alta até aqueles que tem uma dependencia maior do poder publico para as necessidades básicas.Será que esse processo será revertido um dia ?

Marcos Valerio disse...

Bom dia professor, quero parabeniza-lo pela postura em seu blog, penso que não adianta nós blogueiros ficarmos mandando "bala" nas situações, temos o dever de informar, e olha que até um cidadão Lusitano andou por estas bandas e gostou de ler os blogs, a informação é que leva a todos a concientização, os nossos comentaristas precisam entender que quando se passa dados legítimos e precisos, está se dando informações que levarão alguém a formar uma discurssão sobre o assunto!
abç!