quarta-feira, agosto 09, 2017

Consequências do desmonte da Petrobras no setor dutoviário: em apenas 4 anos, a estatal terá pago em aluguel o que recebeu pela venda

Há mais de um ano (em junho e agosto de 2016), o blog comentou aquiaqui, detalhes em nota sobre a venda da malha de dutos de 2.050 km da da subsidiária TAG (Transportadora Associada de Gás) da Petrobras, instalada na região Sudeste, a de maior consumo do país, que tinha sido separada na empresa NTS (Nova Transportadora Sudeste) para o fundo financeiro canadense Brookfield.

O negócio depois de idas e vindas de recursos judiciais foi fechado pelo valor de US$ 4,23 bilhões.

Pois bem, às vésperas da divulgação do balanço (resultados do 2º trimestre e 1º semestre) da Petrobras, nas entrelinhas das estimativas dos negócios, entre receitas e despesas da estatal, vem à tona, a estimativa feita pelo banco Credit Suisse, que a Petrobras terá agora que arcar com os custos relativos à contratação da capacidade de transporte nesta malha de dutos da NTS (que foi vendida à Brookfield), no montante despesa de US$ 1 bilhão por ano, que já deve estar no balanço do 2º trimestre deste ano.

Veja bem, vendeu a malha de 2 mil km de dutos por US$ 4,23 bilhões e agora já paga US$ 1 bilhão por ano de aluguel para usar esta malha que hoje transporta gás apenas, para, a agora cliente Petrobras. Ou seja, só em aluguel, em apenas 4 anos, a estatal terá devolvido o dinheiro recebido com a venda da malha instalada dos gasodutos.

É um desmonte e uma desintegração ardilosa das empresas subsidiárias (parte da holding) d Petrobras. Um crime de lesa pátria que deverá ser revisto em algum momento. No meio de tantas informações fragmentadas que explodem na mídia comercial e corporativa, é preciso algum trabalho, mas não muito, para se descobrir nas entrelinhas as negociatas.

Não se está falando de negócios e parcerias para construção de algo novo, uma infraestrutura, uma indústria, mas neste caso, é entrega do que já está pronto, vendido a preço vil, para ser alugado pela estatal como único cliente a preços na estratosfera, porque se trata de um negócio de monopólio. Se não pagar o preço pedido pelos novos donos da malha de dutos, a estatal não tem como escoar os milhões de m³ de gás extraído dos campos de petróleo das bacais de Santos (e Pré-sal) e de Campos.

9 comentários:

João Leão Lyrio disse...

Gasbel ñ tem manutenção há anos . . .

Anônimo disse...

Se for verdade, é inadmissível. A Petrobras quebrada... As obras das refinarias todas paradas desde 2014. Ingerência total.. Não sabemos ao certo qual o tamanho da dívida da nossa Petrobrás.. Até refinaria já perdemos para o país vizinho... É triste.

Anônimo disse...

Vai ter acidente ..explodir!!!!

Anônimo disse...

Parabéns aos coxinhas, aos vira latas de plantão, aos que querem a volta da escravidão, aos bajuladores dos políticos ladrões

Henrique Sotoma (AEPET-RJ) disse...

Os acontecimentos políticos no Brasil e no mundo mostram apenas uma situação: a ascensão de partidos políticos que não tem a população como fator principal para o qual as políticas públicas devem ser aplicadas, tais como segurança,saúde, educação, ou seja o desenvolvimento social. Para esse grupo político que aí está (Michel Temer, uma boa parte dos deputados e senadores,inclusive presidente das estatais), o que interessa é desfazer do patrimônio público com a desculpa de se fazer caixa para pagar as dívidas, pagar os funcionários públicos, mas o que no fundo esse grupo está fazendo é colocar ativos na mão de grandes investidores, haja visto que está sobrando dólares no mercado internacional; esses investidores precisam de ativos para se desfazerem de seus dólares, antes que estes virem pó! Pode reparar que há vários países adotando outras moedas , que não o dólar, para negociarem suas mercadorias. Observe que o Pedro Parente nem fez/não pediu aos seus técnicos fazerem um estudo de EVTEA da venda da NTS: quais os argumentos para as vendas sendo realizadas? Quais os critérios utilizados nas análises? Os acionistas minoritários estão sendo lesados descaradamente!

João Bosco disse...

Boa noite, esse é o preço da ignorância política do povo brasileiro.

Vianna disse...

Sim, vamos lá,o Dr Pedro Parente é mesmo que vem tentando desmontar a Petrobrás desde o governo FHC,só que agora mais fortalecido pela corja que apoia o presidente golpista com 5% de aprovação popular mas que passa esse rolo compressor nos interesses publicos,apoiado por uma quadrilha infiltrada em todos os poderes. Chora democracia!!!!!

Anônimo disse...

Informação é tudo. Pra quem não sabe, este leilão da malha de gás aconteceu em 2014, portanto, não se trata de Temer (que por acaso também não vale nada). Se trata de uma ingerência sem escrúpulos de uma empresa ex-"símbolo nacional", que vem sendo usurpada e mal gerida há anos. O rombo da Petrobrás, se trata do maior caso de corrupção (venda de ativos e concessões, etc...), de empresa "privada" do mundo. Portanto, penso que devemos sim, resgatar a Petrobrás de forma a cobrar resultados e performance. Talvez isso nos traga um combustível mais justo e um resgate do "orgulho de ser Brasileiro". Eduardo Cortez -Natal. RN.

Roberto Moraes disse...

Caro Eduardo,

Acho que há um equívoco. Mesmo que a separação do ramal Sudeste tenha sido feito desde 2014, ele foi em 2016, para Brookfield Asset Management e o fundo de pensões de British Columbia, no Canadá.

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/09/consorcio-paga-us-52-bilhoes-por-90-de-gasoduto-da-petrobras.html

O leilão de parcerias aconteceu em 2014 para um ramal de gasoduto no trecho Itaboraí- Guapimirim que servirá para transportar o gás processado do Comperj para o gasoduto Gasduc 3, que tem 181 km de extensão:

http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/escoamento-de-gas-esclarecimento-ao-globo.htm