segunda-feira, dezembro 02, 2013

Suspeita de bomba em plataforma deve acender alerta

A suspeita de bomba em uma das plataformas localizadas em nosso litoral mostra apenas uma ponta de um baita problema. Ter que conviver com ameaça de bomba em qualquer lugar já é um grande problema, imagine numa plataforma a dezenas (ou centenas) de quilômetros do continente.

O caso ocorrido numa plataforma da Chevron no Campos de Frade mobilizou 300 militares da Marinha, além das Políticas Federal e Civil (RJ), com diversas embarcações e helicópteros, o que evidencia a
preocupação que gerou o acionamento do Gabinete de Crise.

O fato ocorreu numa plataforma da empresa americana da Chevron, a mesma que foi multada em R$ 95,16 milhões por danos ambientais causado por vazamento de petróleo na própria Bacia de Campos, em novembro de 2011 e março de 2012.

Cabe à Marinha Brasileira a defesa das plataformas e esta atividade ganha a cada dia dimensão geopolítica em função do potencial explorado de nossas reservas. É certo que muito há que ser ampliado no exercício desta missão, como aumento da quantidade de plataformas e com a exploração na camada do pré-sal.

A produção nas plataformas no litoral se iniciou na Bacia de Campos na década de 70. Nestas 4 décadas não recordo de ameaça deste tipo. A tensão do exercício do trabalho embarcado tende a se ampliar caso ocorrências deste tipo voltem a acontecer.

A comunidade campista e da região que já nunca se acostumou a viver os sobressaltos dos embarques, das notícias de acidentes no trabalho e no trajeto de helicóptero, agora, passa a incorporar esta nova preocupação.

O caso não pode passar despercebido como um "faz-de-conta", não apenas para segurança dos trabalhadores, mas, para o interesse de toda a nação brasileira.

3 comentários:

Anônimo disse...

É complicado, eu já embarquei no Frade/ES. A única coisa que eles não deixam embarcar para a plataforma é o celular, nem mesmo lacrado este fica no Hangar e só pegamos no desembarque... A bolsa de viagem por ser plataforma uma de "gringo" não é fiscalizada, embarca com o que quiser e desembarca também..
Houve caso de descerem com 2 PlayStation 3 e ninguém viu nada.
Isso que eu sei, fora o que eu não sei.


evandro gomes disse...

Nas plataformas da Petrobrás, durante o embarque a bagagem passa pelo raio X, dessa forma, ao menos pessoalmente não se leva nada suspeito, pois qualquer objeto é monitorado e o portador interrogado sobre a natureza do mesmo.
Já as cargas, containeres, caixas metalicas, caixas de papelão podem conter materiais perigosos, já que não passam pelo mesmo rigor.
abs
Evandro

evandro gomes disse...


CLIPPING: Suspeita de bomba interrompe produção em plataforma da Bacia de Campos

1/12/2013 - 20:34

A Marinha do Brasil informou por nota ter sido avisada por volta das 19 horas deste sábado (30) da existência de uma caixa com material suspeito de ser explosivo a bordo da plataforma petrolífera do Frade, na Bacia de Campos, a 230 km de Macaé (RJ).

Três embarcações — os navios patrulha Amazonas e Gurupá e a corveta Barroso — foram deslocadas para a região, assim como equipes de mergulhadores de combate, fuzileiros navais, policiais federais e Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil do Rio. Foi formado ainda um gabinete de crise, e a Amazonas assumiu, na madrugada de domingo, as operações na plataforma, cuja produção foi interrompida.

Na manhã deste domingo, exames constataram que se tratava de material inerte e sem dispositivo detonador. Foi aberto inquérito sobre o incidente.