domingo, março 28, 2010

Delegado da PF, Paulo Cassiano Júnior, faz mais esclarecimentos no blog

O delegado da Polícia Federal em Campos fez quatro comentários que o blog resolveu trazer também para este espaço. Além da prisão de um traficante anunciada por ele, o mesmo informa sobre o andamento do processo de compra de votos, que segundo o delegado, depois da sindicância e do inquériro na PF, agora encontra-se em fase de decisão judicial. Abaixo os quatro comentários na íntegra: "Caro(s) Anônimo(s). "Não voltaria a comentar mais o caso, mas, como o senhor dirigiu-se diretamente a mim, faço questão de prestar alguns esclarecimentos. Primeiro: o senhor está muito mal informado sobre a investigação da compra de votos em Vila Nova. O “escândalo” NÃO foi “abafado”. O inquérito policial foi relatado por mim e, diante das provas colhidas, o Ministério Público Eleitoral ofereceu denúncia em desfavor de mais de vinte pessoas envolvidas no esquema. A denúncia foi aceita pela Justiça Eleitoral. Portanto, o caso já está entregue à Justiça, em fase de processo criminal, e a expectativa é a de que haja condenação de todos os réus. Evidentemente, EU SEI quem financiou e determinou a compra de votos. Só não posso falar a respeito porque, lamentavelmente, não foi possível formalizar essa verdade em provas criminais. Isso acontece em diversos casos policiais: conhece-se o fato, mas não se consegue prová-lo. Quase toda investigação sobre compra de votos depende fundamentalmente de prova testemunhal, pois o dinheiro que circula para tal fim não transita em contas bancárias, nem é declarado à Justiça Eleitoral- por óbvio. Daí a dificuldade. Se o senhor souber de alguém que se disponha a declarar tudo o que sabe, trazendo mais luz ao caso, é só me avisar. Sou diretamente interessado na cabal elucidação dos fatos. Seria uma grande contribuição à sociedade campista. A Delegacia de Polícia Federal fica na Rua Barão de Miracema, nº 156. O telefone do gabinete é 2726-8701. Estou aqui todos os dias úteis, no horário comercial. Atenciosamente, Paulo César Barcelos Cassiano Júnior Delegado de Polícia Federal Matrícula 9.610-1ª Classe Chefe da Delegacia de Polícia Federal em Campos dos Goytacazes/RJ". "Paulo Cassiano Jr. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Delegado da Polícia Federal comenta no blog sobre ...": "Segundo: o senhor foi extremamente infeliz quando disse que “os contatos de Garotinho com a Polícia Federal continuam fortíssimos”. Apresento aqui o meu completo REPÚDIO a essa afirmação. Só posso imaginar que essa estupidez tenha sido escrita porque o senhor ignora totalmente a seriedade do trabalho que é desenvolvido nesta Delegacia de Polícia. Não há “contato” algum entre a Polícia Federal em Campos dos Goytacazes e o senhor ANTHONY GAROTINHO- nem fortíssimo, nem fraquíssimo. Aliás, não há “contato” algum entre a Polícia Federal em Campos dos Goytacazes e nenhum outro político. Se isso não for verdade, desafio o senhor a apresentar o nome do “contato” do senhor GAROTINHO com esta Delegacia de Polícia. Depois de revelado, EU serei o primeiro a tomar as providências disciplinares e policiais em desfavor desse servidor. Ou então sugiro que o senhor seja mais cauteloso no uso de suas palavras. Atenciosamente, Paulo César Barcelos Cassiano Júnior Delegado de Polícia Federal Matrícula 9.610-1ª Classe Chefe da Delegacia de Polícia Federal em Campos dos Goytacazes/RJ" "Paulo Cassiano Jr. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Delegado da Polícia Federal comenta no blog sobre ...": "Terceiro: nos termos do Novo Dicionário Aurélio de Língua Portuguesa (2ª Edição, Editora Nova Fronteira, página 134), uma das acepções do vocábulo “antro” é “casa ou lugar de perdição, corrupção, vícios”. Portanto, reafirmo o que já disse: o “camelódromo” era um verdadeiro antro da criminalidade. Se algumas pessoas que trabalham no camelódromo são “gente como a gente”, “peixes pequenos” ou “boas praças”, que não tiveram oportunidade na vida, essa é uma avaliação sociológica que um organismo policial não tem condições de fazer. O Departamento de Polícia Federal é uma instituição pública cuja missão constitucional é a de reprimir delitos. E isto foi feito. Considerações de caráter sócio-econômico ou ético sobre o trabalho dos “camelôs” deve ser levado à consideração da Prefeitura Municipal- e não à Polícia Federal-, que, aliás, sempre cuidou do espaço público do “camelódromo” de maneira incompetente. A Prefeitura Municipal tem condições de fomentar emprego e tirar essas pessoas da informalidade e da ilegalidade. Uma coisa é certa: o comércio, seja formal ou informal, não pode andar à margem da lei. O aparato policial montado para a Operação “25 de Março” foi absolutamente adequado para a execução do trabalho, conforme a melhor técnica. O isolamento da área e os desvios do trânsito foram necessários para preservar a população dos riscos que trariam qualquer confronto; os policiais foram escalados em número suficiente para prover segurança aos funcionários da Receita Federal e dar cumprimento ao mandado judicial; as sessenta toneladas de mercadorias teriam que ser transportadas em caminhões mesmo. Portanto, não houve “circo” algum. Não houve prisão porque a Justiça Federal não decretou mandado para isto. Portanto, falar que “prender preto, pobre e favelado é fácil” é ignorância. Mas isto não significa impunidade. A responsabilização criminal de todos os envolvidos acontecerá tão logo a Polícia Federal receba as Representações Fiscais para Fins Penais da Receita Federal, depois da contagem das mercadorias. É como manda a norma. Atenciosamente, Paulo César Barcelos Cassiano Júnior Delegado de Polícia Federal Matrícula 9.610-1ª Classe Chefe da Delegacia de Polícia Federal em Campos dos Goytacazes/RJ". Paulo Cassiano Jr. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Delegado da Polícia Federal comenta no blog sobre ...": "Uma última informação a todos: nessa madrugada do dia 28 de março, tiramos de circulação mais um traficante de drogas da nossa cidade, preso em flagrante com 2,2 Kg de crack (há três semanas, foi feita a maior apreensão de entorpecentes da região nos últimos cinco anos: 50 Kg de maconha e 12 Kg de crack). A Polícia Federal em Campos dos Goytacazes anda com a lei debaixo do braço. Portanto, todas as suas ações, que são absolutamente legais, até agora não mereceram qualquer reparo do Poder Judiciário. Por fim, sugiro que o senhor “Anônimo” se apresente e diga quem é. Fica parecendo que não quer revelar a sua identidade por alguma razão oculta. O debate democrático merece mais transparência. Atenciosamente, Paulo César Barcelos Cassiano Júnior Delegado de Polícia Federal Matrícula 9.610-1ª Classe Chefe da Delegacia de Polícia Federal em Campos dos Goytacazes/RJ."

13 comentários:

Anônimo disse...

No mínimo é estranho!

À frente da delegacia da Polícia Federal de Campos desde fevereiro, o campista Paulo César Barcelos Cassiano Júnior toma posse, oficialmente, somente essa semana, possivelmente na sexta-feira. Mas, mesmo antes disso, já vem imprimindo uma nova marca à DPF, com divulgação de casos, além de um ritmo mais rápido, porém minucioso, nas investigações. Como caso de maior vulto, até agora, como faz questão de frisar, está a operação "Cinquentinha", que levou à prisão o subsecretário adjunto de Governo da Prefeitura de Campos, Thiago Machado Calil, o pai dele, José Geraldo Calil e o supervisor de Serviços Municipais, Assis Gomes da Silva Júnior. Paulo Cassiano Junior diz não haver dúvidas da compra de votos em Vila Nova para beneficiar os candidatos Rosinha Garotinho e Marcus Alexandre.

Não esconde relações de sua família com a prefeitura - um irmão, inclusive, tem cargo de confiança - mas afirma que isso não o inibe: "Se tiver que cair todo mundo por conta disso, não tem problema". E acrescenta: "Sou apaixonado por minha profissão e orgulhoso da instituição a que sirvo. Nada me frearia, nem nada vai me frear", garante.

Marcelo Bessa Cabral disse...

Toda a equipe da Polícia Federal em Campos faz um trabalho sério: isso é inegável.

Anônimo disse...

Mentalidade pequena


Da forma que ocorreu, não foi BOM.

Quero ver essa operação nos shoppings(local de inúmeros produtos piratas).


Quero ver essa operação em um determinado supermercado(notas frias).

Caro delegado, ser valente no camelódromo é fácil, quero ver nos shoppings(local de inúmeros produtos piratas).


PAULO - Do Latim paulus, paullus, "pequeno".

Anônimo disse...

A polícia federal de Campos está de parabéns. Fez seu trabalho comprometida apenas com a lei. Parabéns também pela iniciativa do delegado Paulo Cassiano de debater com os internautas neste blog, foi bom até para termos mais clareza das ações da polícia e com isso, mais certeza ainda da dedicação deste brilhante servidor público.
Carlos Freitas.

Anônimo disse...

Primeiramente, o Delegado Dr. Paulo Cassiano está de parabéns pelo seu trabalho, principalmente no combate a pirataria e a sonegação de impostos no camelô, e segundo, foi muito bom o ele ter vindo ao blog do Roberto Moraes, para esclarecer a população sobre esta e outras ações da polícia federal, como a que prendeu um grande traficante de crack da região. Essa droga vem acabando com muitas famílias.
O delegado está parabéns pelo seu trabalho, e nós campistas podemos nos orgulhar, pois o Dr. Paulo Cassiano também é campista.

Anônimo disse...

Palmas para o Delegado que vem desenvolvendo com maestria a sua função aqui. Parabéns pelo trabalho e pela forma madura e coerente que demonstrou aqui.

JCarlos disse...

Sabemos que no meio do todo há alguns poucos que procuram, pensam e até tentam trabalhar de maneira honesta. No meio desses alguns poucos, muitos veem que fica muito mais lucrativo trabalhar na ilegalidade "afinal, se todos fazem que mal teria eu também fazer?"...
Já fui empresário no ramo de eletrônicos. Trabalhei durante 5 anos pagando todos os meus impostos, funcionários, encargos sociais, com todas as notas fiscais necessárias para funcionar legalmente e ... desisti!!!
Afinal o que mais poderia acontecer quando tentamos trabalhar certo enquanto a prefeitura legaliza o ilegal?

Desculpem-me os possíveis honestos que trabalham no camelódromo, mas a iniciativa do Delegado Paulo Cassiano Júnior é louvável!

Anônimo disse...

Querido professor, caros blogueiros, Senhor Delegado,
Fica provado, pelo alto número de anônimos, que o brasileiro não acredita e não confia na Polícia e nem na Justiça, se não...
Todos se identificariam, pois saberiam q a justiça iria prevalecer, custe o q custar, poderiam colocar a cara na reta, se exporem, mas essa não é a realidade em nosso país, infelizmente. Ainda não nos sentimos seguros p nos expormos, o blog q o diga, está sofrendo ataques da imprensa, com censura...
Também acho q "antro" de criminalidade..., esperem aí, pegaram pesado, quando se sabe, em todos os setores se encontram sonegadores de impostos; não duvido, até dentro da própria justiça, dentro da própria polícia e dentro do próprio meio político.
Será, senhor Delegado, que não havia nem um box no camelódromo q andava direitinho com as leis?
anônimo. eu hein?

Anônimo disse...

eles naon podem simplesmente deixar 380 familias passarem fome porque ele acha que pode mudar o mundo camelo nao revida quero ver ele entrar no morro la e diferente agente ver na tv,porque so aqui no pais inteiro existe isso e injustiça para o trabalhador,pra mim a pf tem coisa muito mais importante pra acabar do que o sustento de 380 familias

Anônimo disse...

tantas pessoas ali trabalhando honestamente ficaram sem nada a 20 anos como pode um delegado achar que e deus e acabar com tudo a culpa nao e deles que nao tiveram outra oportunidade,nao e assim que ele vai acabar com a venda de produtos sem nota ele tem que se preocupar com coisa muito mais podre em campos isso ele nao ve,mexer com trabalhador e facil pois sao pais de familia,espero que a prefeitura possa ajudar essas pessoas porque elas precisam muito e estao desorientadas

Anônimo disse...

O que o cidadão brasileiro gostaria de vê,seria toda essa operação montada no camelodromo,que isso acontecesse dentro das comunidades (favelas),Delegado vai prender BANDIDOS ,ARMAS e DROGAS.Tenha a santa paciência.Cai na real vc não vai mudar o mundo,tanto que os box já estão abertos de novo.Que ridículo.
Deixa o povo trabalhar,porque não fazer uma varredura na Prefeitura de Campos,lá sim vc vai encontrar pilantras dando cabeçada.

ANA disse...

Ola boa noite! estava vendo os comentarios do delegado paulo cassiano gostaria se puder saber como ele esta fizemos faculdade juntos
no rio e tem anos que n sei dele. obrigada e parabens pelo blog é de qualidade.
Ass Ana Ribeiro

Roberto Moraes disse...

Cara Ana,

Eu não tenho nem telefone e nem e-mail do Paulo cassiano.

A melhor forma de falar com ele é buscando o telefone da Polícia Federal de Campos onde ele é delegado titular.

Acredito que na própria internet deva ter este número.

Sds.