sexta-feira, dezembro 25, 2009

Parque da cidade em Campos

A necessidade de um em nossa cidade já foi discutida neste espaço diversas vezes. Ele também já foi sugestão das duas primeiras conferências da cidade. A área urbana de Campos cresceu enormemente e, a perspectiva do crescimento populacional para os próximos 15 anos é mais do que o dobro do índice dos últimos anos. A vida na cidade tende a ser cada vez mais rude estressada sem áreas de convívio. Infelizmente a maioria de nossas praças se transformou em pontos de comércio com quiosques, e menos área de lazer, esportes e contemplação. Os parques nas cidades de porte médio são necessidades tão prementes quanto escolas e postos de saúde. Eles podem oferecer possibilidades múltiplas, de lazer, esporte e convivência em ambientes agradáveis em meio ao verde e equipamentos culturais do tipo biblioteca e escolas culturais. Campos há muito necessita de uma área que sirva de parque urbano para a cidade. O Jardim São Benedito, o Horto Municipal são insuficientes em termos de tamanho, atrativos e estacionamento para os visitantes. Duas áreas já foram sugeridas: a grande área no atual contorno de Campos, ao lado do hiper naquele grande campo completamente desarborizado e em área árida que vai até o Parque Esplanada depois do Parque Nova Brasília. A outra é entre o Canal Campos-Macaé e a estrada que liga o Trevo do Índio ao Parque Aurora (foto acima). Falou-se em desapropriação em projetos e... nada. O blog ainda não ouviu deste governo nenhuma proposta nesta direção. Porém, é bom que a questão não caia no esquecimento. Para aqueles que possam imaginar em desejos e demandas para classe média é bom saber que um parque como este atende ou pode atender, especialmente, àqueles que não têm recurso para uma casa de campo ou de praia e assim, pode passar a pensar num lazer diferente da bebida nas biroscas ao redor da moradia. Sem nenhum preconceito, é bom que esta seja apenas uma alternativa e não a única ou uma das únicas, que o campista morador das áreas centrais ou periféricas têm para enfrentar a aridez da dura vida de trabalho. Cidade deve ser pensada como área de convívio e não como um castigo a ser enfrentado. O blog aguarda manifestação da Prefeitura sobre o assunto.
PS.: Mais detalhes sobre o assunto leia aqui e aqui.

11 comentários:

Luiz de Pinedo Quinto Júnior disse...

As cidades de porte médio possuem uma estrutura urbana em transição, isso significa que essas estão, ainda, ligadas ao passado das pequenas cidades. A relação entre o rural e o urbano reflete esta relação. Elas de fato necessitam pensar em seus espaços livres e parques públicos. Assim esta relação ambígua faz com que as necessidades de espaços públicos fiquem em segundo plano. Assim eu diria que pensar nos Parques de Campos é uma prioridade, pois corremos o risco de não termos espaços livres fundamentais para o futuro.
Assim, discutir um sistema de parques e áreas livres é fundamental.

Daniel disse...

A iniciativa é muito importante. Aliás, a cidade de Campos precisa crescer para os lados. Está ficando muito dificil transitar na área urbana atual. É preciso criar um anel viário e estimular "centros" economico-sociais em outras áreas da cidade. Só acho meio dificil o parque da cidade ser no local dessa foto. Ali, será para expansão comercial e urbana, como já temos visto no Pq. São Caetano, Sto. Amaro, Queimados, Rodoviários, etc. Já fui corretor de imóveis e sei que existem muitos planos para está área. Devemos lembrar tambem que a cidade poderia ter um zoo, junto com o referido parque. Esperamos que a partir de 2010, a cidade de Campos cresça e evoloua como precisa.

Renato disse...

Roberto,
no meio do ano fui visitar familiares em Vitória e fui levado ao Parque Pedra da cebola.Um imenso(100.000,00m2) parque erguido em àrea degradada(onde antes era uma pedreira).
Mas o que quero destacar é que é um espaço gratuito,onde a principal atração é o verde e que encontra-se diariamente centenas de famílias fazendo o velho e bom piquinique sendo que neste dia até festa de aniversário infantil pude ver.
Mais informações no link; http://www.vitoria.es.gov.br/secretarias/meio/cebola.htm
Um abraço,Renato Gonçalves.

Anônimo disse...

Quais as opções de lazer em Campos?
Que qualidade de vida essa cidade oferece?
A área verde de Campos é ridicularmente pequena, o jardim São Benedito é muito pequeno e dá pra ficar andando em circulos, precisamos de espaço, respiro, um lugar pra fugir do caos do trânsito e da cidade cinza. Chega de ter como única opção de lazer, ter que frequentar aqueles barzinhos da pelinca, encher a cara com cervejas superfaturadas e ficar olhando o povo exibindo seus carrinhos andando em círculo pelo bairro, ostentando não sei o que.
É uma pena ter que sair da cidade para procurar lazer e qualidade de vida.

Jornalista_Natalino disse...

Professor, concordo com o tema e o projeto, porém, queria apenas lembrar um exemplo nosso, bem aqui pertinho.

Em Macaé foi criado o Parque da Cidade. Uma imensa area (a qual tive o privilegio de conhecer olhando de cima, dando-me uma ideia ainda maior do projeto), com espaço até para shows sem embolar com a area de recreaçao; quadras de grama sintetica, brinquedos, etc. Mas, como tudo, há um "porém".

"Porém", a imensa area (nao sei hoje, 25/12/2009, mas em outubro...) estava fechada. Isso porque o projeto, de tao grande, acarretava uma grande despesa que nao fora prevista no orçamento municipal. Sendo assim, especulava-se que a Petrobras "adotaria" o parque - ou outra empresa, quem sabe - mas isso nunca aconteceu. Assim, ela ficou abandonada parcialmente: a prefeitura a mantém para que nao acumule mato e/ou mendigos, mas nao o abre ao publico porque nao consegue mante-lo.

O parque existe, mas nao funciona. De que adianta? POr isso, o alerta: será que a populaçao de baixa renda, que nao tem casa na praia e afins, iria de Goytacazes à estrada do Contorno para se divertir? Ou os moradores de Guarus, de todos seus distritos, teriam condução até o local?

A idéia é boa. Mas nao creio que saia do papel (que, alias, no papel nem nunca entrou). E olha que nosso orçamento é de 1,4 BILHÃO DE REAIS...

Edison Correa da Rocha disse...

Quantos milhões seriam gastos para se construir um parque deste porte praticamente no centro de Campos?
Enquanto para os distritos,como SANTA MARIA e SANTO EDUARDO,nem uma mísera árvore de natal a prefeitura,nenhum enfeite de natal foi colocado nas praças destas duas localidades.VERGOMHA.
É POR ESSAS E OUTRAS QUE DE VEZ EM QUANDO HÁ UM ZUMZUM PEDINDO EMANCIPAÇÃO.

Anônimo disse...

Concordo com o Roberto Moraes.

Acho que já passou da hora de Campos ter um parque municipal. Acho inclusive que tal parque deveria ter no mínimo 500.000 metros quadrados.

Tornar a cidade muito mais agradável, com área de lazer e prática de esportes,é também uma forma de torná-la mais atrativa a investimentos. Queum decide a imnplantação de empresas num local leva em consideração também as condições de entretenimento, pois mutios executivos dessas empresas podem ter que nelas residir.

Alías, acho que Campos deveria construir também um autódromo. O automobilísmo é muito difundido no páis, existinto inúmeras categorias. A Stock Cars e a Fórmula Truck, por exemplo, possuem uma média de público de 30.000 espectadoes por corrida.

As corridas de automóveis costumam atrair não só os noradores das cidades onde se situam os autódromos, mais também os moradores de uma grande região próxima.

Uma cidade com autódromo certamente terá movimento quase todo fim de semana. E as equipes de corridas, nas diversas categorias, costumam se instalar na cidade por uma semana, considerando os preparativos para as corridas. Isso movimenta a ecopnomia da cidade, principalmente hotéis, restaurantes e transportes.

Algumas cidades do Brasil, muito menores do que Campos, só são conhecidas por causa de seus autódromos.

E com a desativação do autódromo da cidade do Rio de Janeiro, no mínimo até as Olimpíadas de 2016,abre-se uma grande oprtunidade para um outro local no estado do Rio de Janeiro. E a região da Bacia de Campos, maior produtora de petróleo do país, é a mais indicada.

Construção de autódromo é uma forma de se desemvolver setores da economia de forma consistente.

Anônimo disse...

ROberto, o professor Geraldo Sardinha ja comentou da possibilidade de se fazer nas proximidades do Alphavile se não me falha a memoria, que ja existe um estudo na area, que pode ser também uma boa saída

Marcelo disse...

Professor, outra área boa para se
fazer um porque fica entre o Flamboyant e o Jockey, margeando o canal de coqueiros, logo após a ponte no prolongamento da Rua Saldanha Marinho, deve ter uns 150.000 m2, olhe no google maps. A área está cheia de mato, más tem, muita árvore grande como genipapo, flamboyant florido e outras que não sei o nome.

Marcos disse...

Prof. é um absurdo como foi desprezado pelos entes municipais projetos de áreas publicas como mencionado.
A título de informação a alguns anos atrás foi proposto ao município cessão da área entorno da lagoa do exercito 56BI, para acesso ao público, salvo engano, abrangendo hoje IFF Guarus (não havia cogitação da instituição). Nada foi feito.
Como abordado os que possuem recursos vão para os seus refúgios, porém, independente desta questão, a cidade não tem área que se preze de lazer. Pergunto ao Srs. temos lugar apropriado para caminhadas, corridas, somente disputando entre veículos e ciclistas. Há algum lugar público para reunir a família envolta de uma area verde respirável e mais "sossegada". .. ... .. Vamos continuar esbanjar dinheiro público em alienação cultural ... pois saúde física e mental está muito aquem.
Um abraço Prof. Roberto de um leitor que te acompanha.

Anônimo disse...

Prof., além das sugestões sobre as áreas verdes, aí vai mais uma: Sugiro um Corredor ecológico formando um bosque urbano, já aproveitando a arborização da Faculdade de Direito de Campos que aliás já “é uma ilha verde” no centro da cidade.
O Prof. Levi Quaresma e sua equipe estão de parabéns pela preservação do ambiente dentro da FDC, que proporciona um agradável microclima para quem frequenta as instalações desse conceituado estabelecimento de ensino, inclusive contamos com sua ótima biblioteca.
Em pesquisa realizada pelo Prof. Marcos Pedlowski, da UENF, constatou-se grande déficit de arborização no município de Campos dos Goytacazes. Baseado nesse estudo e visando otimizar os espaços urbanos, sugiro a Secretaria de Meio Ambiente e a Prefeita Rosinha que utilize o entorno da FDC, do Trianon e do Jardim S. Benedito e faça um corredor ecológico, interligando as três áreas, incluindo as ruas Tte. Cel. Cardoso, Marechal Floriano, Marechal Deodoro, Saldanha Marinho, Conselheiro Otaviano e Travessa Dr. Alcindor Bessa, teremos assim um bosque urbano com baixíssimo custo financeiro.
Saudações verdes!!!
Cláudio Paravidini