sexta-feira, dezembro 11, 2015

Fusão entre duas empresas da cadeia de petróleo (Technip e FMC) pode trazer mudanças na região

Ainda na grande onda de fusão das grandes corporações no mercado mundial, o setor de petróleo no ano passado, acompanhou a decisão da fusão entre a Baker Hughes e a Halliburton, num negócio de US$ 34,6 bilhões.

Apesar do órgão americano de trustes ter autorizado o negócio, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) do Brasil propôs a impugnação da fusão, por considerar prejuízo para o país, em função dos riscos de oligopólio. (Ver nota do blog em 07/12 aqui)

Agora a notícia divulgada há dois dias pela Reuters (aqui) é de que a empresa francesa Technip e a americana FMC Technologies estão estudando uma fusão de operações.

O objetivo seria também o de enfrentar a crise e realidade na indústria global de petróleo e gás, decorrentes das seguidas e crescentes quedas nos preços do barril de petróleo.

Assim, a agência Reuters informa sobre as negociações da possível fusão. A Technip e FMC Technologies, que têm capitalizações de 5,3 bilhões de euros (US $ 5,8 bilhões) ainda não chegaram a um acordo sobre termos e não possuem certeza sobre o fechamento do negócio.

A Technip também vem mantendo conversações com outros potenciais compradores ou parceiros. Technip tentou fazer um acordo com outra empresa francesa CGG SA no ano passado, mas as negociações não avançaram, por conta de valores.

A Technip e a FMC Technologies já possuem negócios juntos, através de uma joint venture, formada no início deste ano, cujo nome é “Forsys Subsea”. Esta empresa trabalha em projetos de redução de custos através da exploração de petróleo, com atividades e equipamentos submarinos (subsea).

A possível fusão de mais duas do setor de petróleo, verticalizaria ainda mais o setor de fornecimento de materiais, equipamentos e serviços desta cadeia produtiva, onde as corporações globais se oligopolizam, numa velocidade absurda, impulsionada, por mais uma crise cíclica.

Base portuária que Edison Chouest constrói no Porto do Açu
com fábrica da Technip já em funcionamento na vizinhança (ao fundo) 
Sob o ponto de vista nacional e regional, a fusão entre a Technip e FMC pode trazer mudanças nas bases operacionais que as duas empresas hoje possuem no estado do Rio de Janeiro, em especial, em Macaé e junto do Porto do Açu, município de São João da Barra.

O fato reforça a informação obtida pelo blog de que a americana FMC Technologies estaria em conversações com a também americana, Edison Chouest que monta base portuária no Terminal 2 do Porto do Açu para atender contrato obtido em licitação com a Petrobras. A conferir!

Nenhum comentário: