segunda-feira, fevereiro 15, 2016

Seguem as flutuações no preço do barril de petróleo que chegou a US$ 34,39

As flutuações de preço do barril de petróleo seguem sugerindo manipulações sobre o mercado, aparentemente, mais que notícias e fatos.

Na última sexta-feira o valor subiu o percentual de 12%, um dos maiores, para um único dia. Os argumentos eram o de sempre: redução de estoques e um possível acordo entre a Opep e a Rússia para conter a produção e assim, reduzir ou zerar, o excesso diário de produção que hoje atinge a cerca de 1,75 milhões de barris por dia.

Por trás disso estão as tradings e os bancos que controlam o comércio do petróleo, que até aqui, vinha sendo feito feito exclusivamente em dólar e agora Rússia e China estão mudando esta realidade.


Neste campo é difícil separar o que é fato do que é notícia "plantada". As notícias veiculadas geram lucros e por isto sua divulgação é sempre muito bem remunerada.

Como há quem ganhe, há também os que perdem. Invariavelmente, grandes corporações, oligopólios e bancos de um lado e pequenos, médios investidores e menores petroleiras de outro.

É neste cenário que hoje, até aqui, o barril de petróleo brent, abriu valendo US$ 32,81 e chegou a US$ 34,39.

Para quem não conhece o assunto em detalhes, saiba que a maior trading do setor de petróleo, negocia diariamente, a bagatela de mais de 5 milhões de barris de petróleo por dia, quase o dobro de toda a produção brasileira de petróleo.

Com este volume é possível entender como se pode interferir nos preços e fluxo da commodity petróleo. Continuamos acompanhando o ciclo.

Um comentário:

Giancarlo Silva Dias disse...

http://m.br.investing.com/news/not%C3%ADcias-de-commodities-e-futuros/ar%C3%A1bia-saudita,-r%C3%BAssia,-catar-e-venezuela-aceitam-limitar-produ%C3%A7%C3%A3o-164833