domingo, novembro 17, 2013

Professora de Campos expõe realidade de escola municipal à prefeita Rosinha

O blog recebeu por email a reclamação (denúncia) que está exposta abaixo:

"Rosinha,
Desde dezembro de 2011 a E.M.João Goulart foi demolida para ser erguida uma nova sede. Com esse fato ela passou a funcionar no prédio da E.M.Jacques Richer que fica na localidade vizinha (Campo Novo).

Porém, já são quase 24 meses desde o início da obra da nova sede e atualmente muito embora a obra esteja bem adiantada, está PARADA há um mês.Não há funcionários trabalhando a não ser o vigia.
A comunidade de Venda Nova continua aguardando ansiosa pela conclusão, visto que seus filhos estão estudando na localidade vizinha,sem salas adequadas(com improviso), pois a E.M.Jacques Richer abriu "mão" do refeitório, sala de informática e sala de leitura(todos desativados) para acolher os alunos da E.M.João Goulart.
São 2 anos sem acomodações descentes para ambas as escolas.
Precisamos de um basta!
A obra da E.M.João Goulart precisa ser acelerada o mais rápido possível visando inauguração antes do início do ano letivo de 2014, para que a aprendizagem dos educandos não continuem sendo prejudicada devido a falta de acomodações.

Agradeço a sua atenção e aguardo verificação.
Professora Luciana Soares Marques."

4 comentários:

Luciana Soares Marques disse...

Agradeço a sua colaboração.

Anônimo disse...

já não me apavoro mais com a qualidade de certos professores (que desconhecem o idioma vernáculo).

ATOS 3.19 disse...

Professora, parabéns pela sua coragem, e que outros te usem de exemplo... quem te atacou, deve ser baba ovo de garotinho e Rosinha...

Anônimo disse...

Alvíssaras! O Anônimo das 10h4min é um erudito. Um depositário do conhecimento que nunca erra. Ops. Esqueceu de iniciar a frase com letra maiúscula. É de apavorar?
Não.
É apenas um erudito sem conteúdo, que nada acrescentou ao debate. Talvez devore livros, armazene conhecimentos, estoque fatos, entesoure cabedais literários, mas para digerir coisa nenhuma. Talvez anotar em erro de português.

A professora com a coragem que não temos, vem expor um problema real, prático, significativo e fácil de ser resolvido não fosse o modelo de gestão que elegemos nos últimos anos.
Talvez sofra represálias, mas teve a coragem de denunciar o fato.
A prefeitura deveria aproveitar este momento em que Jango foi redimido e incorporado definitivamente à história brasileira, para dar a escola que leva seu nome a dignidade que seus frequentadores merecem.