sexta-feira, agosto 31, 2012

O que é a Pelinca hoje?

Há dez anos o blogueiro fez um estudo amplo sobre o adensamento e sobre a verticalização na região da Pelinca em Campos. Na época foi traçado um quadrilátero de aproximadamente 1,5 Km² que tinha nos seus extremos a avenida 28 de março, a rua Tte. Cel. Cardoso (Formosa) e a rua Lacerda Sobrinho (Sacramento) como sendo aquela que o blog identificou como da região da Pelinca.

Este quadrilátero envolve uma área de cinco bairros: Centro, Parque Tomás Coelho, Avenida Pelinca, Parque Tamandaré e Dom Bosco que para efeito da pesquisa foi divida em dez diferentes setores.

Mapa da Pelinca que corta em diagonal o quadrilátero de 1,5 km² (em laranja)

Neste espaço foi realizado um levantamento de prédios com mais de 3 andares, do número e tipo de comércio e imóveis usados para prestação de serviços, dos terremos vazios, etc.

Os números indicavam um adensamento preocupante tendo em vista, a limitada capacidade de circulação viária, a infraestrutura de saneamento, o aumento do barulho, dos engarrafamentos, da temperatura média e da menor circulação de ar por conta do aumento e da proximidades dos prédios cujas construções avançavam.

Por conta da provocação de um jornalista da InterTV para uma matéria fui revisitar estes dados e, a partir dele fiz estimativas do que pode estar acontecendo no presente.

Antes, é interessante relembrar que Pelinca foi um padre português, vigário da Paróquia de São Salvador, no fim do século XIX. Ele morou numa chácara onde hoje é o Centro de Compras. O surgimento da área como centro comercial se deu no final da década de 70 com a Sapataria Zazá e a boutique Parati.

O grande impulso do bairro como eixo comercial se efetiva no final da década de 80 com a construção do Parquecentro, onde antes era uma grande casa, que por fim abrigou o conhecido Colégio João XXIII.

A construção vertical teve seu marco naquele espaço através do conhecido prédio do Pelincão, construído também no final da década de 70.

Abaixo o blog traz aos seus colaboradores estas informações:

O que é a Pelinca hoje?

- Entre 15 mil e 20 mil moradores

- Circulação diária de quase 100 mil pessoas e 40 mil veículos
- 120 prédios com mais de 3 andares (+15 construção)
- + de 20 terrenos vagos
- Cerca de 1000 pontos de comércio (maioria loja de roupas, depois bares, lanchonetes e restaurantes). Em 2000 eram 714 (155 lojas de roupa e 56 bares, lanchonetes e restaurantes e 36 cabelereiros)

- 3 shoppings + centro de compras

- 5 hospitais (Sta. Casa; HEAA; Prontocardio; Beda; ProClinicas)

- 3 universidades (IFF; Universo e Estácio) próximo Ucam e Isecensa.

O que fazer diante deste adensamento? Como regular este processo?

1) Planejamento no uso e ocupação do solo (limitação de gabaritos e distância entre prédios; rigor na autorização de novas construções e comércio);
2) Obrigação de + garagens nas novas construções prediais;
3) Linhas circulares de ônibus para inibir o fluxo individual de veículos;
4) Limitação de horário para circulação de veículos e cargas;
5) Obras de saneamento para evitar estrangulamento (água, esgoto e lixo)
6) Arborização (para reduzir temperatura média por conta do asfalto e proximidade dos prédios)

 Observações:
1) A vida em sociedade exige regras, onde o bem estar coletivo deve superar vontades e desejos individuais ou de pequenos grupos;

2) A regulação do Poder Público tem a função de evitar o stress do lugar e sua consequente deterioração, que levará os interessados apenas no lucro, à busca por outras áreas para serem usadas, com forte apoio de marketing, gerando novas especulações e lucros, em detrimento da cidade que se deseja boa para todos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Um grande governo é aquele que PLANEJA a cidade...Estado país que govena.
Ações IMEDIATISTAS são a EXTERIORIZAÇÃO DA MEDIOCRIDADE ,prova cabal de OPORTUNISTAS NO PODER.
BILHÕES e uma cidade mal planejada, com saúde e educação DEPLORÁVEIS.

Anônimo disse...

Uma área dita "nobre" sem um espaço verde? Como assim?

Solon Zorowich disse...

Obrigado pelas informações, até hoje , não sabia o porquê do nome Pelinca !

Anônimo disse...

Muito boas as informações. Uma pena que o tempo passa e Campos não cresce da forma que deveria.