sábado, maio 05, 2012

“Cadê o viaduto da Artur Bernardes?”


O blog recebeu do engenheiro José Ronaldo Saad o detalhado e questionador e-mail que publica abaixo na expectativa que a PMCG possa respondê-lo no mesmo tom e nível de detalhamento. A população tem o direito de ser informada. Se não fosse pela Lei de Responsabilidade Fiscal seria pela Lei de Acesso à Informação (clique aqui para obter detalhes):

Cadê o viaduto da Arthur Bernardes?
“Sr. Roberto Moraes

Aproximando-se a inauguração das obras da Avenida Arthur Bernardes, cabem as seguintes considerações:
1ª – Tal obra foi oficialmente licitada e disputada anteriormente por outras empresas que não a que está, estranhamente, executando-a hoje, que é a A.R.G, uma mega construtora de Minas Gerais.

2 - Naquela oportunidade, a licitação teve como vencedoras três construtoras radicadas em Campos – o CONSÓRCIO IMBÉ/MECANORTE/AVENIDA, empresas de notórias competência e tradição – e sua HOMOLOGAÇÃO foi inclusive decretada no governo anterior, conforme publicado no Diário Oficial:

HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO
Conforme parecer nº 200/2007, exarado no processo 3936/2007, HOMOLOGO o resultado da Concorrência Pública nº 004/06 e, em conseqüência, adjudico o seu objeto, contratação de Empresa especializada para execução da obra de complementação da Implantação da Avenida Artur Bernardes – TRECHO ENTRE  VENIDA ALBERTO LAMEGO E RUA VISCONDE DE ITABORAÍ, ao CONSÓRCIO IMBÉ/MECANORTE/AVENIDA, com o valor global de R$ 54.274.320,76 (cinqüenta e quatro milhões,  duzentos e setenta e quatro mil, trezentos e vinte reais e setenta e seis centavos).
PUBLIQUE-SE
Em 02 de julho de 2007.
Alexandre Marcos Mocaiber Cardoso
= Prefeito =
DIÁRIO OFICIAL - C3 | Monitor Campista | TERÇA-FEIRA, 03 de julho de 2007

3 – Na ocasião, o Secretário de Obras e Urbanismo de então, Arq. José Luiz Púglia, propagava no site da PMCG (http://www.campos.rj.gov.br/noticia.php?id=8641) que “O projeto prevê a interligação da rua Visconde do Itaboraí, no IPS até o bairro do Horto, próximo à Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), COM A CONSTRUÇÃO DE UM VIADUTO DE 240M, QUE CRUZARÁ A AVENIDA 28 DE MARÇO”. (destacou-se em caixa alta)

 4 – Pois bem. Esse viaduto de 240 m de extensão que, diga-se de passagem, contribuía para justificar o absurdo preço das obras, simplesmente DESAPARECEU!

5 – Desse modo, as duas importantes avenidas estão se cruzando no mesmo nível, o que é INACEITÁVEL naquele local, constituindo uma ABERRAÇÃO VIÁRIA que já vem causando o maior transtorno na fluidez do tráfego das duas das principais artérias da cidade – prejudicado que está, o entroncamento, pelo incessante trânsito dos imensos caminhões que transportam rochas e demandam o Super Porto do Açu.

6 - Por obra de misteriosa “química” (ou seria “alquimia”?) conseguiram os gestores públicos fazer desaparecer esse viaduto!

7 - O valor de sua construção não é difícil de estimar. Por simples comparação e atualização monetária dos valores atribuídos a obras equivalentes a essa, em recente licitação da Prefeitura – (construção de quatro outras pontes em MARRECAS, PALMARES, MURITIBA 1 e MURITIBA 2, Concorrência Pública 022/2010, de 30 de agosto de 2010) – chega-se preço por m2 de R$ 6.600,06, para a data de hoje.

8 - A área total do Viaduto da Av. Arthur Bernardes, (considerando que sua largura seria, na pior das hipóteses, de somente 7,20 m, a mesma das quatro pontes que seriam construídas naqueles locais remotos do Município):
240 x 7,20 = 3.456,00 m2

9 -  - Portanto, o valor total atualizado do Viaduto da Av. Arthur Bernardes seria:
R$ 6.600,06/m2 x 3.456,00 m2 = R$ 22.809.807,36, que representam 42% do contrato.

10 – Fica a dúvida para os munícipes: o contrato teria sido mutilado em mais de 40% do seu valor, deixando a construtora de executar tal obra imprescindível que custaria vinte e três milhões de reais, ou os cofres municipais desembolsaram efetivamente essa quantia, ratificando o contrato e substituindo o viaduto por outros serviços “acrescidos” sorrateiramente?

Em vista dessas considerações, a Autoridade Municipal precisa vir a público explicar esse possível ato de lesa-município e o Ministério Público tem que atentar mais para as denúncias cidadãs para garantir a defesa dos interesses sociais.

Sua Excelência Rosa sabe que necessita ostentar uma imagem não só de transparência, mas também balizada pela célebre máxima romana:
À MULHER DE CÉSAR NÃO BASTA SER HONESTA, DEVE PARECER HONESTA”.

E, lamentavelmente no caso concreto, nada aparenta ser mais desonesto. Pelo menos até que se prove o contrário.
Temos o direito líquido e certo de sabê-lo.

“CADÊ” O VIADUTO DA ARTHUR BERNARDES?
Atenciosamente,
Jose Ronaldo."

11 comentários:

Luciano disse...

O link para a notícia no site da prefeitura não existe mais.

Luciano disse...

O link da notícia para o site da prefeitura não existe mais

Anônimo disse...

Os questionamentos são pertinentes e devem ser respondidos. Excetuando a licença de chamar a prefeita por apelido, atitude que reprovo, concordo com tudo que o engenheiro diz.
A prefeitura precisa informar a população. O discurso dos Garotinhos na mídia não pode ser diferente da prática.
Quanto a largura do viaduto, entendi perfeitamente o estudo do engenheiro para estimar seu custo. Sei que ele não está propondo 7,20 m. É apenas uma referência baseada em outras obras.
Mas aqui é um perigo sugerir. Aqui tudo é menor... Por isto torço para que os técnicos da PMCG delimitem a largura do viaduto pela largura da pista e não siga o acanhamento da ponte sobre a beira valão.

Anônimo disse...

54 milhões foi o valor do primeiro trecho.Entre a Av Nilo Peçanha e a Beira Valão.

Anônimo disse...

venderam ele pra pagar a campanha das proximas eleições.kkkkkkkkkkkkk
ass. o corujão

Anônimo disse...

Além de polêmica essa obra na avenida Artur Bernardes está demorando séculos. Acabe com isso logo, senhora Rosinha Garotinha !

Anônimo disse...

agora eu parei pra pensar de quem são aqekas terras?o dono fui rassarcidoporque 1 coisa eu enlargueceram Arthur Bernades,mas pagaram ao adono?
Vou descobrirnquem pe eke e api........................................

Anônimo disse...

O link não existe há mais de 2 anos.. Notícias do antigo portal não aparecem no novo portal.

arq/urb.Renato C.A. Siqueira disse...

Roberto, não poderia haver profissional mais qualificado para avaliar a questão do que o colega engenheiro José Ronaldo Saad, ele ainda foi modesto em sua projeção do custo da obra, visto que o valor do m2 extraído das pontes nos lugares "remotos" deste município, possuem certamente elementos estruturais mais modestos do que o referido viaduto em questão. Contudo, é válido para estabelecer ordem de grandeza, certamente o objetivo do nobre colega.
Como urbanista, condeno o cruzamento em nível, especialmente de vias arteriais, como o caso, no mínimo deveria ser instalada uma rotatória - diferente do modelo mortal em frente a UENF - de modo a garantir a segurança e fluxo contínuo, característicos deste corredor viário. Chamo a atenção, mais uma vez (já o fiz no próprio blog), que a largura e características da Avenida Arthur Bernardes, não estão de acordo com o perfil de logradouro arterial determinado no Plano Diretor Municipal, está MENOR e variável ao longo da Avenida(largura das calçadas e canteiro central), outro saldo no custo da obra! José Ronaldo, é muita grana aparentemente "sobrando".

Anônimo disse...

Ouvi dizer q alguns moradores influentes do Flamboyant pediram a prefeita q não fizesse viaduto ali, já q segundo eles, um viaduto desvaloriza seu entorno.

Samara do Jd. Carioca disse...

Esse casal da Lapa, sempre foram criticos contumazes(ferrenhos)e acudadores, de ex-prefeitos de Campos, muita das vezes, o casal da Lapa, proferia a seguinte frase: "O GATO COMEU", fazendo referência, alardeando que tal obra, já teria sido paga, pela prefeitura de Campos, porém, tal obra não havia sido realizada, explicitando que prefeito e empreiteiros,daquelaépoca, teriam se apossado de tal dinheiro público.

Enfim, por ironia do destino, tais suspeitas, agora se voltam contra o casal da lapa, diante de tal comentário do nobre engenheiro.

Convenhamos, o que está acontecendo na prefeitura de Campos, é uma vergonha, não haveria mais respeito, dignidade, e muitos outros termos.