domingo, junho 02, 2013

Mapa do trajeto do aeromóvel em Campos e outras questões sobre a tecnologia e sua implantação

O leitor-colaborador Ricardo Alves desenhou para os leitores do blog, o trajeto previsto no projeto do aeromóvel de Campos. Este espírito de colaboração para o debate mostra como o blog e a rede funcionam, puxando, empurrando e navegando nas informações e no debate. Disse o Ricardo:

"Roberto
Segue anexo arquivo jpg das futuras estações do Aeromóvel de Campos de acordo com o decreto de desapropriação! Provavelmente haverá mais algumas no trajeto entre o Shopping 28 e Arthur Bernardes, porém não há nada no decreto desapropriando imóveis neste percurso! Abraços
Um leitor."

Mapa do trajeto do Aeromóvel a partir das áreas divulgadas para desapropriação pela PMCG 
A discussão sobre a alternativa tecnológica do Aeromóvel é grande e antiga. O blog encontrou na internet uma reportagem do jornal Zero Hora de Porto Alegre. O jornal ouviu dois especialistas: 

Cloraldino Severo, ex-ministro dos Transportes.
"Um sistema de baixa eficiência"
O engenheiro que rejeitou o projeto do aeromóvel em 1982 trabalhou no governo João Baptista Figueiredo até 1985. Hoje, atua como consultor. Ontem, rompeu o silêncio sobre o assunto e falou por telefone com ZH. Confira trechos da entrevista:

Zero Hora — O que o senhor acha da retomada do aeromóvel?
Cloraldino Severo — O que estão fazendo é o que poderiam ter feito há muitos anos. A minha posição quanto a ter um sistema ligando ao aeroporto é de que este é o papel para o qual ele serve. Quanto ao resto, é um sistema de baixa eficiência.

ZH — Não havia possibilidade alguma de aprovar o projeto do Oskar Coester?
Severo — O ministério tinha recursos, eu, como gaúcho, tinha todo o interesse, só não fiz porque hoje vocês estariam me chamando não sei de quê. Seria um desperdício de dinheiro.

ZH — Agora o aeromóvel ressurge.
Severo — Durante todos esses anos, o sistema não conseguiu se impor, a não ser em um parque. Até que (Coester) conseguiu vender o peixe aqui, aproveitando o problema da Copa.

ZH — Qual o futuro do aeromóvel, para o senhor?
Severo — É nessa questão de ligar aeroportos, por exemplo.

ZH — O senhor se animaria a acompanhar um teste do veículo?
Severo — Não me disponho a acompanhar porque acho que ele (Coester) não precisa da minha companhia. Faço votos que tenha sucesso.

O outro ouvido foi o Fernando Mac Dowell Consultor, doutor em engenharia de transporte. Ele é o formulador do Aeromóvel de Nova Iguaçu que ganhou no Edital do PAC-2 para cidades com mais de 700 mil habitantes. Mac Dowell também foi o autor do projeto de Campos, apresentado no Edital de Mobilidade para as Cidades Médias, também do governo federal. O projeto de Nova Iguaçu teve problemas com as desapropriações e mudança de governo municipal. Com isto o projeto está parado. Abaixo a entrevista com Mac Dowell:

"Não disputa com o metrô"
Ex-secretário fluminense dos Transportes, criador do projeto de aeromóvel em Nova Iguaçu (RJ) e um dos especialistas no setor mais respeitados do país, Fernando Mac Dowell falou ontem por telefone com ZH desde o Rio de Janeiro. Confira:

Zero Hora — Como foi a descoberta do aeromóvel para o senhor?
Fernando Mac Dowell — No lugar de criticar o que tinha surgido no Rio Grande do Sul, quando todo mundo saiu criticando, eu fui aprender. Mandei uma equipe para examinar e vi que o negócio tinha uma lógica.

ZH — Qual a principal vantagem?
Mac Dowell — O custo operacional baixo. Tem capacidade excelente, mas não disputa com o metrô. Pode, perfeitamente, alimentar o metrô.

ZH — O senhor estudou os modais para chegar a uma conclusão positiva sobre o aeromóvel?
Mac Dowell — Sim. Fui chamado pelo governo federal para sugerir uma solução de mobilidade ao Rio de Janeiro. Aí, analisei todas as tecnologias: BRT, aeromóvel, VLT, metrô, o monotrilho e o trem de levitação magnética. Aí, a grata surpresa foi o desempenho do aeromóvel.

ZH — O que o estudo mostrou?
Mac Dowell — O aeromóvel é mais econômico e o único ambientalmente correto porque o ar que sai é só vento. Não tem combustível, emissões veiculares, nada.

ZH — E a sugestão pelo aeromóvel foi aceita?
Mac Dowell — Gostaram para caramba. Mas, depois, politicamente, tiveram que... bom... deixa para lá.

Se desejar veja mais detalhes da reportagem aqui.

Para ampliar a discussão e conhecimento do projeto e porque sua construção tende a ser rápida, veja abaixo algumas imagens disponibilizadas em apresentações do projeto feita em oportunidades anteriores. A Prefeitura de Porto Alegre já tem um outro projeto de linha com 7,2 quilômetros de extensão com 8 estações e um custo estimado em R$ 288 milhões:

Foto da construção do Aeromóvel em Porto Alegre-RS

Montagem da estrutura do aeromóvel em concreto com o espaço
interno por onde passa o ar que movimenta o veículo - Porto Alegre

Foto da estrutura saindo do aeroporto de Porto Alegre - RS
Exemplo de estação de um aeromóvel no caso com duas linhas - ida e volta

Exemplo de estação com integração de linhas - Projeto de Nova Iguaçu

















Colocação do trem na estrutura da linha em Porto Alegre

















Abaixo detalhes do projeto de Porto Alegre:

19 comentários:

Josimar disse...

Professor excelente debate. Quanto ao mapa acho que falta a estação Ferroviária, onde funciona hoje a secretaria de educação. Quanto a dúvida anterior sobre a manobra, acredito que o veículo tenha cabine de comando nas duas estremidades.
O que eu tenho dúvida é como será o embarque e desembarque, teremos estações sobre a ciclovia? Vão acabar com a nossa ciclovia?

Anônimo disse...

Vai ter integração para a Uenf / Centro etc...

Anônimo disse...

Não há solução padronizada para todas as cidades brasileiras.O que se pode notar é que hoje em dia as idéias são vendidas aos lotes para as várias prefeituras do país.Percebe-se grupo bem organizado que, planejadamente,aposta em soluções ilusórias cujo fim, primeiro e último, é arrecadar em cima de governos inconsequentes e bons gastadores do dinheiro público de modo iresponsável .Tem gente grande de sagacidade e pequena em planejamento desejosa tão somente de arrecadar .
Campos não tem um governo que sequer organizou o transporte coletivo que se refere aos onibus.Aliás, o transporte piorou demasiadamente nestes 5...6 anos.Vai dizer que se não planeja o que está aí vai fazer bem feito o que virá?
Poupe-nos e poupe esta sangria iresponsável dos cofres públicos senhores.
Campos precisa , urgentemente, de intervenção.
Dizer que grande parte dos poderes em todo o Brasil está assim não é argumento.
Tratemos de nossa aldeia.O que não dá mais é essa sensação que reina nos cidadãso de que o crime de colarinho branco compensa .

Anônimo disse...

Rede Globo distorce realidade do Maracanã


“O Maracanã está pronto ! Nenhum problema, tudo certo, acabado ! Enquanto isso outros estádio ainda estão em construção…”

“Maracanã: está tudo muito lindo, muito perfeito !”

As frases acima, claramente encomendadas, foram utilizadas, há instantes, no programa Esporte Espetacular, da Rede Globo.

Distorcem absolutamente a verdade, de um local que foi inaugurado às pressas, e está cercado por escombros e irresponsabilidade.

Ao fundo, imagens aéreas do estádio, em ângulos evidentemente favoráveis, davam a impressão de estarmos em Wembley.

Até o boneco “João Sorrisão”, que representa como pouco boa parte do povo brasileiro, foi escalado para a empreitada.

Mais um capítulo triste de manipulação da opinião pública.

Diria até pouco inteligente, em tempos de internet, onde a verdade será inevitavelmente difundida, levando mais uma vez a emissora ao descrédito.

Anônimo disse...

Globo proíbe programas de mencionar Facebook e Twitter

A partir de agora, personagens e programas devem se referir aos sites como "rede social de mensagens curtas" e "grande rede social".

O motivo seria a divulgação através da exposição das redes sociais nas propagandas.

A informação foi confirmada por Ariadne Guimarães, gerente de produção editorial da empresa.

No mês passado, a Globo ordenou a retirada de links de redirecionamento para seus sites no Facebook.


No mês anterior, a empresa já havia estabelecido uma taxa extra para anúncios que citassem Twitter, Orkut e Facebook.

Fonte: Exame

Luiz André disse...

Boa Tarde, Roberto!

Será que a Prefeitura está considerando o projeto de reativação da linha férrea Rio-Campos-Vitória? Além do Porto do Açu?
Esse projeto acho que está em estudo pelo Governo Federal.

Abraço,
Luiz André

Marcos Valerio disse...

Continuo sem ver o horizonte positivo deste projeto.
Sobre a demanda de passageiros o projeto não procede, e para complementar posso citar que a Baixada Campista e em especial -Goitacazes- não estão contemplados no projeto, ou seja: Vinte e oito de março congestionada como sempre, pois ali além do fluxo de Goitacazes e Baixada ainda atende a são João da Barra.

Anônimo disse...

Um trajeto estranho, pois em Campos tudo converge para o centro q não é contemplado. Seria mais viável passando pela beira valão, mercado e centro.

Anônimo disse...

O grande problema de transporte que temos em Campos é o acesso ao centro. Aqui tem o grande movimento de pessoas. A prefeitura pense que esta pessoal vai andar até o 28 de Março para pegar o aeromovel?
O projeto como projetado serve para quem?

Anônimo disse...

Na cidade de Poços de Caldas tentaram implantar o mesmo sistema. Logo caiu em desuso.

George AFG disse...

Roberto, a ciclovia será mantida com esse trajeto???

Roberto Moraes disse...

pelo porte das vigas acho difícil, mas não conheço o projeto.

Unknown disse...

Achei o percurso muito interessante, passa na esquina da minha casa (perto do senai). Só acho que erraram uma coisa, na altura da quinze de novembro, deveria dobrar a direita e seguir pela 15 de novembro, chegando passando pelo em frente a praça são salvador e dobrando na ponte logo em seguida para ir para guarus, ou então ter a mesma rota e ter uma ligação extra saindo da altura em que cruza a 15 de novembro chegandoa a praça, pois assim ligaria todo o percurso com o centro, ou seja, toda a população que trabalha no centro não precisaria pegar um onibus para ir para o centro.

Anônimo disse...

Esse projeto já nasce errado, principalmente por não integrar aeroporto e rodoviária.

George AFG disse...

É o q me preocupou quando vi a foto. Obrigado pela resposta professor.

Anônimo disse...

Chega a ser ridículo a prefeitura se endividar para gastar 400 milhões em um automóvel aéreo, que só cabem 20 pessoas, destruir a cidade, casas, famílias, ao invés de construir um hospital para tirar as pessoas dos corredores e das filas de espera por um atendimento digno.
Foi feita alguma pesquisa com a população para saber a opinião da maioria?

Anônimo disse...

Canoas é a segunda cidade mais importante do Rio Grande do Sul, por isso vão implantar aeromóvel lá também...

Jonas Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberto Moraes disse...

Caro Jonas,

Eu não conheço o detalhamento do projeto, mas, há comentários, de que haveria em estações intermediárias, a possibilidade de permitir o intercâmbio de vagões.

Porém, há que se conhecer o projeto.